Embora reconhecendo que o ato de nomeação é uma prerrogativa do Governador do Estado, a bancada de Oposição prepara moção de repúdio ao fato da mãe do procurador eleitoral José Guilherme Ferraz ganhar um cargo de confiança no Governo Maranhão III. “Do ponto vista ético, é algo extremamente grave”, resumiu o deputado Romero Rodrigues (PSDB), ao lembrar que Ferraz teve um desempenho determinante no processo de cassação do ex-governador Cássio Cunha Lima.

Para Romero Rodrigues, que já articula a manifestação de repúdio da bancada ao ato que transparece para a sociedade, segundo ele, como um “prêmio” pela atuação de Guilherme Ferraz no processo, o mínimo que se poderia exigir do procurador eleitoral é que ele recomendasse à mãe entregar o cargo, para que não pese sobre ele o estigma da barganha pura e simples.

“Custo a acreditar que um homem público do valor de Guilherme Ferraz se passe para isso, mas é realmente muito estranho que sua mãe seja contemplada por um cargo exatamente por quem foi mais beneficiado pelo afastamento de Cássio Cunha Lima do governo”, observou Romero Rodrigues.

Além de Romero Rodrigues, estão se movimentando para assinar a moção de repúdio os outros integrantes da bancada de Oposição na Assembléia Legislativa.

Para a Oposição, a moção servirá de alerta para a sociedade sobre esse tipo de procedimento crítico por parte de quem funcionou como “algoz” no processo de cassação e o que foi premiado pelo poder.

 

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: a metáfora de “RC, João e a guerra em terra Tabajara”

A guerra foi deflagrada. Montgomery decidiu firmar o desembarque no Sanhauá de forma rápida e precisa, a fim de evitar maiores movimentos do exército oposicionista comandado pelo general Hideki Tojo.…

Opinião: RC vê conotação política em escritório arrombado. Acha que há mandantes

Em resposta a questionamentos da coluna, o presidente da Fundação João Mangabeira e ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), disse, na madrugada deste domingo (18), não ter dúvidas de que…