A Paraíba o tempo todo  |

Maranhão III nomeia cinco comissionados da mesma família no Espaço Cultural

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Família é tudo. E o maior exemplo disso pode ser encontrado na Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), responsável pela gestão do Espaço Cultural. O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (25) traz a nomeação do servidor comissionado Francisco de Oliveira Bispo e de sua filha, Kalina Bispo, reconduzidos para cargos melhores no órgão, completando um grupo de cinco pessoas da mesma família com cargos comissionados atuando na Funesc.

Além da filha, Francisco de Oliveira Bispo vai ter o prazer de trabalhar diariamente com o filho, Alisson Pedrosa Bispo, a irmã, Nazaré de Oliveira Bispo, e a cunhada, Tatiane Emanuelle Dias, todos cargos comissionados da Funesc.

O curioso é que o patriarca da família foi reconduzido para um cargo pra lá de sugestivo: diretor do Departamento Pessoal. Ou seja, responsável pela folha de pessoal do órgão. De início, já melhorou a situação da filha que passa a responder pela Assessoria Especial de Assuntos Culturais, um dos melhores cargos da instituição.

Para a oposição, o governo Maranhão III está recheado de casos de nepotismo. O caso mais representativo foi da esposa do senador Roberto Cavalcanti (PRB), arquiteta Sandra Moura, nomeada como coordenadora do programa de Artesenato Paraibano, apesar de ter o irmão, Achiles Leal Filho, presidente do IDEME.
Dias depois da matéria do PB Agora, o governo exonerou a arquiteta. A Paraíba foi o primeiro estado do Brasil a implantar lei, em 14 de novembro de 2006, restringindo a contratação de parentes no Poder Executivo Estadual.

Oficialmente, a condução de Francisco Oliveira Bispo para chefia de Departamento Pessoal da Funesc, onde trabalham quatro parentes, não gera nepotismo. Mas para oposição ao governo Maranhão III tem praticada uma verdadeira farra nepotista.

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe