Por pbagora.com.br

A leitura da bíblia no início das sessões na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) continua gerando impasse. Após a vereadora Sandra Marrocos se posicionar contra a leitura do trecho bíblico, como consta no Regimento, a vereadora Elisa Virginia ratificou que vai continuar defendendo o ato.

Para a vereadora Eliza Virginia, o ato da leitura do trecho bíblico é regimental e pelo fato de constar no regimento tem que ser seguido. “Caso a vereadora Sandra Marrocos não venha a cumprir o regimento, ela não poderá, em outra ocasião, cobrar o cumprimento”, ressaltou a vereadora.

A vereadora Raíssa Lacerda, que também se mostrou favorável ao cumprimento do regimento da Casa, afirmou que não há lógica em retirar a leitura da bíblia da abertura das sessões na CMJP.

A polêmica gira em torno de uma sessão especial em celebração ao Dia Internacional da Mulher que acontecerá na Câmara, cuja propositura teria sido da vereadora Sandra Marrocos. Com o argumento de respeitar o estado laico, Sandra teria pedido a retirada da leitura bíblica no início desta sessão.

 

PB Agora

Notícias relacionadas

Aprovado projeto que garante R$ 2 bi para auxílio e projetos culturais

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (21) o Projeto de Lei 795/21, do Senado, que reformula a Lei Aldir Blanc e prorroga prazos de utilização de recursos repassados a…

Mudança no sistema eleitoral deve colocar Ana Cláudia no MDB para disputar vaga na Câmara Federal, em 2022

O Debate no Sistema Eleitoral que exclui partidos pequenos para a disputa de 2022 deve forçar a secretária Ana Cláudia Vital do Rêgo a trocar o Podemos pelo MDB para…