Por pbagora.com.br

A Justiça de Bayeux ouve, na tarde desta segunda-feira (04), testemunhas no processo de improbidade administrativa, movida contra o prefeito afastado do município Berg Lima. No total, três testemunhas de acusação e seis de defesa serão ouvidas.

A volta do caso à cena política paraibana trouxe à tona outro questionamento. É que mesmo durante o período em que esteve preso, o prefeito afastado continuou recebendo o salário de chefe do executivo municipal, no valor de R$ 20 mil.

Os dados podem ser conferidos no Sagres Online, que traz outro dado peculiar: no mês de abril, Bayeux foi o único município brasileiro que pagou o salário de 3 prefeitos, o de Berg, o do vice-prefeito que assumiu interinamente a vaga após a prisão de Berg, Luiz Antonio e do atual prefeito, Noquinha, que foi elevado ao posto após a Justiça determinar o afastamento de Luiz Antônio após publicação de um vídeo onde o prefeito interino aparecia pedindo dinheiro a um empresário para divulgar um vídeo que prejudicaria o então prefeito Berg Lima.

Só com o salário de Berg, que passou 146 dias preso no 5º Batalhão de Polícia Militar da Paraíba e continua afastado e respondendo criminalmente por peculato, o município desembolsou desde a sua prisão, R$ 240 mil.

No último mês de maio populares realizaram um ato público para pedir na Justiça a suspenção do pagamento do salário de Berg Lima.

PB Agora

 

Notícias relacionadas

Preocupação de Veneziano Vital com Licenciamento Ambiental repercute nacionalmente

Poucas horas depois de aprovado na Câmara dos Deputados o texto base do Projeto de Lei nº 3.729, de 2004, que dispõe sobre o Licenciamento Ambiental, o Vice-Presidente do Senado…

Ruy se mostra contra aumento de 69% do salário de servidores federais

“Quero falar sobre um assunto que deixa a todos nós indignados”, assim o deputado federal Ruy Carneiro, iniciou um debate acerca da portaria que autoriza uma parcela de servidores federais…