Por conta de uma documentação incompleta apresentada ao Superior Tribunal de Justiça, a revogação da prisão do empresário Vladimir dos Santos Neiva, um dos alvos da Operação Calvário presos ainda no final do ano passado, foi indeferida, em despacho proferido pela ministra Laurita Vaz nesta quinta-feira (13).

A defesa, no entanto, alega que  houve uma falha na internet que impediu que toda a documentação fosse enviada.  Mas um novo pedido de soltura já está sendo protocolado, dessa vez com toda documentação completa, a fim de conseguir a liberdade do cliente.

No pedido, a defesa argumenta que “a segregação cautelar está lastreada exclusiva em depoimentos prestados em acordos de colaboração premiada, que a competência para causa julgadora é a Justiça Eleitoral, que não há contemporaneidade na medida decretada, que a pequena gravidade da conduta e o fato de ser acusado de ser partícipe demonstram a falta de cautelaridade da medida e que não há indícios de participação que vinculem Vladimir na organização criminosa”.

Na semana passada, o STF solicitou ao Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) informações sobre Vladimir e outros investigados que também pleitam a liberdade.

 

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vereador Humberto Pontes troca comando do Avante pelo PV

Mais uma troca partidária entre os vereadores de João Pessoa ocorreu nessa sexta-feira, dia 03, véspera de encerramento do prazo de filiações. O vereador e presidente do Avante em João…

Em emenda, Maranhão sugere adiamento de eleição de outubro para dezembro

O senador José Maranhão (MDB) visando não prejudicar o “calendário eleitoral” sugeriu, através de emenda à Constituição, o adiamento das eleições municipais deste ano para dezembro. De acordo com a…