Por pbagora.com.br

oco desta semana está na desoneração da folha de pagamentos de setores que empregam grande número de trabalhadores, lembra o líder Efraim Filho (PB). “Retomar uma política de não onerar quem emprega é essencial para preservar a situação do trabalhador, do pai e da mãe de família, que precisam ter segurança que vai levar comida para dentro de casa. Vamos valorizar quem enfrenta o cenário adverso do coronavírus, mantendo as vagas de trabalho”, afirma.

A desoneração da folha de pagamentos está na pauta da sessão conjunta da Câmara e do Senado, prevista para ocorrer nos próximos dias. Em junho, o Congresso Nacional aprovou a prorrogação da desoneração da folha de pagamento de vários setores da economia até 2021 por entender que a medida evitaria maior número de desemprego no país. Ao todo são 17 setores.

A proposta foi vetada pelo governo e a bancada do Democratas quer reverter o veto. O líder explica o porquê: “A preservação e a geração de empregos devem ser prioridade no Brasil pós-pandemia”. A lei atual prevê que o benefício seja concedido até o fim de 2020, o que não dá tempo para as empresas se reerguerem após paralisação de suas atividades no período de pandemia.

Na avaliação de Efraim Filho derrubar o veto é garantir que pelo menos essas 17 áreas tenham a desoneração já prevista para 2021.

Redação com ascom

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veneziano lembra Dia Nacional dos Deficientes Auditivos e destaca ampliação de medidas de acessibilidade

O Dia Nacional dos Surdos é comemorado no dia 26 de setembro e o senador licenciado Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) fez referência à data, ao lembrar que todos os…

Covid-19: municípios devem criar Portal da Transparência para disponibilizar recursos

Todos os 223 municípios paraibanos deverão criar um Portal da Transparência especifico para ações de combate à Covid-19, disponibilizando os valores e recursos arrecadados e a sua devida destinação para…