O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, ao falar com a redação do PB Agora, informou esperar que sua amizade com o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) não interfira nos convênios da arquidiocese com o governo.

 

Ele disse também que veio à Paraíba trabalhar para a população e não para pessoas específicas. “Minha amizade e respeito por Cássio não podem interferir nos trabalhos da arquidiocese, pois não trabalho para pessoas ou governo, trabalho em prol da população”, afirma.

 

Ao ser questionado sobre a quantia de R$ 600 mil recebida do ex-governador, dom Aldo negou e esclareceu que houve um pedido de renovação do convênio “pão e leite de soja”. “Não recebemos nenhum dinheiro. Houve apenas uma licitação para que seja renovado o convênio ‘pão e leite de soja’, que foi até publicado no Diário Oficial, mas a verba não foi repassada”, esclareceu Dom Aldo.

 

Quanto ao seu apoio ao novo governador José Maranhão, dom Aldo preferiu silenciar. Ele acredita que ainda é muito cedo para tomar qualquer tipo de posicionamento ou dar alguma declaração.

 

Milena Feitosa

PB Agora
 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Deputado Taciano Diniz diz que continuará neste ano a priorizar ações de saúde e qualidade de vida

Em depoimento via sua assessoria o deputado estadual Taciano Diniz (Avante) disse, em entrevista anteontem, que passou todo o primeiro ano de mandato priorizando ações na área de saúde e…

Presidente do Podemos assume liderança da bancada de oposição na CMCG

A bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande tem um novo líder. O presidente do Podemos, vereador Galego do Leite que volta a comandar a bancada oposicionista na…