O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, ao falar com a redação do PB Agora, informou esperar que sua amizade com o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) não interfira nos convênios da arquidiocese com o governo.

 

Ele disse também que veio à Paraíba trabalhar para a população e não para pessoas específicas. “Minha amizade e respeito por Cássio não podem interferir nos trabalhos da arquidiocese, pois não trabalho para pessoas ou governo, trabalho em prol da população”, afirma.

 

Ao ser questionado sobre a quantia de R$ 600 mil recebida do ex-governador, dom Aldo negou e esclareceu que houve um pedido de renovação do convênio “pão e leite de soja”. “Não recebemos nenhum dinheiro. Houve apenas uma licitação para que seja renovado o convênio ‘pão e leite de soja’, que foi até publicado no Diário Oficial, mas a verba não foi repassada”, esclareceu Dom Aldo.

 

Quanto ao seu apoio ao novo governador José Maranhão, dom Aldo preferiu silenciar. Ele acredita que ainda é muito cedo para tomar qualquer tipo de posicionamento ou dar alguma declaração.

 

Milena Feitosa

PB Agora
 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João sanciona lei que permite a servidores suspenderem pagamento de consignados

O governador João Azevêdo sancionou o projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) que permite aos servidores públicos estaduais a suspensão do pagamento dos empréstimos consignados por…

Lei que regulamenta funcionamento de bancos e lotéricas é sancionada

Foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (4) a lei 11.700/2020, de autoria do deputado estadual Wilson Filho (PTB), que disciplina o espaço mínimo e o número de…