A Paraíba o tempo todo  |

Tidos como autores da morte de jovem em escola dizem que vítima pode ter sido confundida

Presos nesta quarta-feira, os dois suspeitos de matar jovem João Vitor Fontes da Silva dentro de uma escola em João Pessoa, negaram em depoimento, envolvimento no crime. Eles afirmaram que estudante pode ter sido confundido com outro do mesmo nome da facção criminosa que eles integram, e morto por um grupo rival.

Segundo a polícia, os presos pertencem a uma organização criminosa apontada na localidade por expulsar moradores dos condomínios para aumentar o domínio da área. Os suspeitos, que não tiveram os nomes divulgados, são apontados como autores de outros crimes em inquéritos que tramitam na Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (DCCPES).

No dia 1º de julho, a Polícia Civil tinha divulgado imagens dos suspeitos. As imagens foram obtidas a partir de vídeos gravados pelo circuito de câmeras. Em uma das imagens é possível ver um homem de máscara que aparece pulando o muro da escola.

A delegada Luísa Correia afirmou que, em depoimento, os suspeitos relataram que João Vitor pode ter sido morto por um grupo rival, após ser confundido com um integrante da mesma facção criminosa que eles fazem parte, pois, além do nome, os dois compartilham o interesse pelo futebol.

As investigações seguem em andamento, e os dois homens permanecem como suspeitos de autoria do crime. Eles foram encaminhados para a carceragem da Central de Polícia.
Relembre o caso
João Vitor, de 18 anos, foi executado a tiros dentro da escola onde estudava, no bairro de Gramame, na noite do dia 1º de junho. De acordo com a Polícia Militar, o suspeito do crime pulou o muro da escola e entrou na sala de aula procurando pela vítima.

João Vitor havia sido contratado há pouco menos de um mês pelo Santa Fé Futebol Clube, do Recife, em Pernambuco. Conforme o site do clube, o time foi fundado em 2021 com o compromisso de formar equipes oficiais exclusivamente com atletas oriundos de projetos e movimentos sociais, futebol de várzea e comunidades carentes.

Redação com informações do G1/PB

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe