Bruno Farias alega que Luciano não executou, apesar ser ter sancionado, nenhuma de suas emendas, como determina a Lei Orgânica do Município

O vereador Bruno Farias (PPS/Cidadania) protocolou, nesta quinta-feira (8) uma notícia-crime, junto ao Ministério Público da Paraíba, contra o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, por não executar as emendas impositivas apresentadas pelos parlamentares pessoenses.

A não execução da “Emenda Cidadã” (que determina que 1,2% da receita corrente líquida do Município seja utilizada pelos parlamentares, individualmente, na resolução de problemas da população, através do Orçamento Impositivo), implica em crime de responsabilidade como prevê o § 5º, do art. 127-a da Lei Orgânica do Município.

Em matéria publicada em um portal de notícias, o prefeito teria alegado que “as emendas estão sendo executadas. O problema é que em muitos casos elas (as emendas) são mal elaboradas e não podem ser aproveitadas”.

Segundo Bruno, o prefeito não só faltou com a verdade como também tenta enganar a população e foi desrespeitoso com os parlamentares. “Respeito é, sobretudo, cumprir a lei. E a Lei Orgânica do Município, que é a Constituição de nossa cidade, impõe ao prefeito a execução das emendas impositivas, e ele não faz nada. Em relação às minhas, ele não cumpre porque não quer, já que todas, tanto as apresentadas no final de 2017 para o orçamento de 2018 como aquelas apresentadas no final de 2018 para o orçamento de 2019, foram sancionadas por ele mesmo”, disse.

Bruno exemplifica: “Tem uma rua lá no Cuiá, de não mais que duzentos metros, para ser calçada, que foi alvo de uma emeda nossa apresentada em 2017 e até agora nada, continua do  mesmo jeito em que estava antes da apresentação da emenda e este é apenas um pequeno exemplo, pois nenhuma foi executada”.

O parlamentar alega que protocolou a notícia-crime em nome do seu mandato, mas acredita que os demais colegas, independe de partido, devam tomar a mesma atitude de ir ao Ministério Público. ” Meu objetivo é informar ao fiscal da lei, que é o Ministério Público, um crime que está sendo praticado contra a cidade de João Pessoa pelo prefeito Luciano Cartaxo, para que tome as providências cabíveis. E essa deveria ser uma ação do Parlamento, do Poder Legislativo”.

“Sei que o protesto silencioso que fiz na CMJP, na última terça-feira, na reabertura dos trabalhos legislativos, ao portar a placa com os dizeres ‘Prefeito, em respeito à cidade, execute as emendas impositivas’ ressoou forte dentro do governo e, se o prefeito não executa as emendas de maneira institucional ou através dos inúmeros apelos feitos pelos vereadores, sobretudo da oposição, que o Ministério Público o imponha a fazê-lo”, finaliza.

 

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

15 novas lombadas eletrônicas: Dnit prevê aumento de multas na PB

Quinze lombadas eletrônicas começaram a multar na cidade de Cabedelo e região metropolitana de João Pessoa. De acordo com o superintendente substituto do Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) na Paraíba,…

Vereador mais votado em CG é preso na Operação Famintos

Vereador mais votado em Campina Grande com quase cinco mil votos, Renan Maracajá (PSDC foi preso na manhã desta quinta-feira (22) em desdobramento da Operação Famintos. O vereador foi preso…