Por pbagora.com.br

Frustrando todas as expectativas dos Delegados de Polícia Civil da Paraíba, a reunião em que o Governo do Estado apresentaria contraproposta aos delegados foi novamente adiada, sem que a categoria se manifestasse contra. No dia 12 março, delegados de Polícia Civil do estado resolveram acatar o prazo de 70 dias solicitado pelo governo Maranhão III, que se venceria amanhã.  O encontro entre categoria e governo, previsto para a tarde desta quarta-feira (20) foi transferido para a próxima segunda-feira (25).

Bastante chateado, o atual presidente da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia Civil da Paraíba (Adepdel-PB), Cláudio Lameirão (foto), informou à reportagem do portal PB Agora que o adiamento da reunião deve-se a viagem do secretário de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba, Gustavo Gominho, ao estado da Bahia, onde participa de evento do Conselho Nacional de Segurança Pública.

Segundo Lameirão, tendo em vista a atenção e o respeito prestados por Gustavo Gominho ao delegados de Polícia Civil, a categoria preferiu aguardar, sem alarde, até a próxima segunda-feira, para então ouvir a proposta que será apresentada.

“A próxima segunda-feira será o limite da categoria para que o governo apresente proposta”, disse Lameirão.

“Caso a reunião não aconteça, ou o governo não apresente proposta satisfatória, podemos retornar o movimento paredista após assembléia da categoria a ser realizada na próxima terça-feira (26), na cidade de Campina Grande”, completou o presidente.

A Adepdel divulgou nota na última semana garantindo que o prazo para a contraproposta do governo não seria estendido.

Com a proximidade dos festejos juninos, o impasse entre delegados e governo já causa enorme preocupação entre a população, uma vez que nesta época do ano turistas de todos os lugares do Brasil e Mundo visitam a Paraíba, procurando diversão e lazer. 

Para continuar trabalhando e aguardar o prazo solicitado pelo governo, na época, delegados exigiram a imediata implantação de direitos como plantões remunerados aos finais de semana, jornada de 40 horas de trabalho semanal para cada profissional, delegados plantonistas em delegacias no interior do estado, entre outros direitos que, segundo a categoria, nunca foram cumpridos.
 

 

Thiago Moraes 

PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mídia nacional repercute críticas de professor da UEPB à Calvário: “lavajatismo”

O site UOL publicou, nesta sexta-feira, reportagem da jornalista Aliny Gama a respeito das declarações do professor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) sobre a Operação Calvário, que tem como…

Por aliança com MDB, PSB/CG deve evita composição com Inácio Falcão no 2º turno

A decisão do PCdoB em Campina Grande em se alinhar ao MDB do senador José Maranhão pode atrapalhar os planos sobre uma eventual aliança com o PSB e o PSOL…