NOVO ANO LITÚRGICO

O Ano Litúrgico da Igreja Católica – ciclo anual durante o qual a Igreja comemora os mistérios da salvação, percorrendo durante uma boa parte dele, os principais momentos da vida de Jesus Cristo e no tempo restante os fatos mais comuns do seu ministério – não coincide com o ano civil.

Para nós, já é ano novo. Com momentos de preparação e celebração, o Ano Litúrgico iniciou-se no dia 28 de novembro passado. Simultaneamente iniciou-se um tempo forte dentro do calendário litúrgico, o Tempo do Advento. Conforme o Ordo Litúrgico o tempo adventício “possui dupla característica: sendo um tempo de preparação para as solenidades do Natal, em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus entre os homens, e também um tempo em que, por meio desta lembrança, voltam-se os corações para a expectativa da segunda vinda de Cristo no fim dos tempos. Por este duplo motivo, o tempo do Advento se apresenta como um tempo de piedosa e alegre expectativa.

Como é do conhecimento de muitos, a partir do Concílio Vaticano II, os domingos, Dies Domini – dia fundamental para a celebração da fé – dividem-se em três ciclos diferentes: A, B e C. Com leituras diferentes atribuindo a cada um deles a predominância de um dos três evangelistas sinóticos. São Mateus (Ano A); São Marcos (Ano B) e S Lucas (Ano C). O Evangelho de João é lido no tempo forte da quaresma, na semana santa e na páscoa.

Em novembro passado, terminamos o ciclo C, com a celebração da solenidade de Cristo Rei do Universo. Este novo ano que iniciamos pertence ao ciclo dominical A, predominando o Evangelho de S. Mateus.

Terminado o Tempo do Advento e Natal até a festa do Batismo do Senhor, inicia-se o Tempo Comum que se estende até a terça-feira antes da quaresma, inclusive. Recomeçando na segunda-feira depois do domingo de Pentecostes e terminando antes das primeiras vésperas do primeiro domingo do advento. Em seguida o Tempo da Quaresma e Tempo da Páscoa até a solenidade de Pentecostes, prosseguindo então o Tempo Comum num período mais longo.

 

Que o calendário litúrgico, caminho pedagógico e espiritual nos ritmos do tempo nos ajude a viver o tempo, cronos, na perspectiva da graça, kairós. Não apenas recordando as ações de Jesus Cristo, nem somente renovando a lembrança de ações passadas. Mas, pela força do sacramento e sua especial eficácia,  alimentamos a  vida cristã, na unção daquele que é o mesmo ontem, hoje e por toda a eternidade. Hb. 13,8.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Ano Litúrgico da Igreja Católica – ciclo anual durante o qual a Igreja comemora os mistérios da salvação, percorrendo durante uma boa parte dele, os principais momentos da vida de Jesus Cristo e no tempo restante os fatos mais comuns do seu ministério – não coincide com o ano civil.

Para nós, já é ano novo. Com momentos de preparação e celebração, o Ano Litúrgico iniciou-se no dia 28 de novembro passado. Simultaneamente iniciou-se um tempo forte dentro do calendário litúrgico, o Tempo do Advento. Conforme o Ordo Litúrgico o tempo adventício “possui dupla característica: sendo um tempo de preparação para as solenidades do Natal, em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus entre os homens, e também um tempo em que, por meio desta lembrança, voltam-se os corações para a expectativa da segunda vinda de Cristo no fim dos tempos. Por este duplo motivo, o tempo do Advento se apresenta como um tempo de piedosa e alegre expectativa.

Como é do conhecimento de muitos, a partir do Concílio Vaticano II, os domingos, Dies Domini – dia fundamental para a celebração da fé – dividem-se em três ciclos diferentes: A, B e C. Com leituras diferentes atribuindo a cada um deles a predominância de um dos três evangelistas sinóticos. São Mateus (Ano A); São Marcos (Ano B) e S Lucas (Ano C). O Evangelho de João é lido no tempo forte da quaresma, na semana santa e na páscoa.

Em novembro passado, terminamos o ciclo C, com a celebração da solenidade de Cristo Rei do Universo. Este novo ano que iniciamos pertence ao ciclo dominical A, predominando o Evangelho de S. Mateus.

Terminado o Tempo do Advento e Natal até a festa do Batismo do Senhor, inicia-se o Tempo Comum que se estende até a terça-feira antes da quaresma, inclusive. Recomeçando na segunda-feira depois do domingo de Pentecostes e terminando antes das primeiras vésperas do primeiro domingo do advento. Em seguida o Tempo da Quaresma e Tempo da Páscoa até a solenidade de Pentecostes, prosseguindo então o Tempo Comum num período mais longo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário