Pesquisa Datafolha realizada entre os dias 4 e 5 de julho aponta que 58% dos entrevistados consideram inadequadas as conversas entre o então juiz da Operação Lava Jato em primeira instância, Sérgio Moro, e os procuradores do Ministério Público Federal em Curitiba responsáveis pela investigação. Outros 31% aprovam a conduta do agora ministro da Justiça e 11% não souberam avaliar.

Os diálogos começaram a ser divulgados pelo site The Intercept no dia 9 de junho e colocaram em questão a imparcialidade de Moro enquanto magistrado. As reportagens sugerem que o ministro atuou como chefe da acusação, indicando ações e testemunhas para os procuradores do MPF. Sérgio Moro já compareceu à Câmara e ao Senado para explicar os diálogos que tinham por aplicativos de mensagens instantâneas com Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato. O ministro se defende levantando a suspeita de que as mensagens podem ter sido adulteradas e forjadas, mas também afirma que não há irregularidades na conduta demonstrada pelas reportagens.

A pesquisa foi divulgada neste sábado (06) e ouviu 2.086 pessoas em 130 municípios de todo o Brasil. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e nível de confiança de 95%.

O maior índice de reprovação da conduta de Sérgio Moro é registrado entre os jovens na faixa etária de 16 a 24 anos, 73% avaliam as conversas publicadas pela imprensa como inadequadas. Nas faixas etárias que vão dos 25 aos 44 anos, a reprovação é de 62%, enquanto o número entre as pessoas de 45 a 59 anos é de 50%. 44% dos entrevistados com mais de 60 anos acham a conduta inadequada.

Também para 58% dos ouvidos, as sentenças dadas por Moro devem ser revistas caso as irregularidades sugeridas pelas conversas vazadas sejam comprovadas. Para 30%, o ganho com o combate à corrupção compensa possíveis excessos cometidos.

A aprovação do ministro foi medida pela pesquisa e caiu de 59% em abril deste ano para para 52%, conforme registrado nas entrevistas realizadas na última semana.

Aqueles que acreditam que Moro deve deixar o cargo de ministro da Justiça por causa da das mensagens vazadas são 38%. Outros 55% acha que ele deve permanecer e 7% não souberam avaliar.

 

Congresso em Foco

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Senado aprova acordo com EUA para uso comercial da Base de Alcântara

O Senado Federal aprovou, nesta terça-feira (12), o Projeto de Decreto Legislativo (PDL 523/2019) que trata do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST). A matéria permite aos Estados Unidos alugar o…

Carlos Bolsonaro amanhece sem contas nas redes sociais

Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro pelo PSL, amanheceu com seus perfis pessoais nas redes sociais desativados. Filho mais atuante do presidente Jair Bolsonaro nas redes, seus perfis pessoais…