A Paraíba o tempo todo  |

Alta no consumo de energia do NE foi maior que nas demais regiões

Ao todo, a carga de energia verificada no ano passado foi de 56.777 MW (megawatts) médios, a maior de toda a história. A carga de energia subiu 8,5% no Nordeste, totalizando 8.325 MW médios. Nessa região, o consumo residencial teve especial elevação, decorrente do aumento do consumo das famílias e pela expansão do comércio. A produção industrial também contribuiu para a forte alta no Nordeste.

O resultado se deve, principalmente, à retomada da economia em 2010, especialmente do setor industrial, após a crise econômica que abalou alguns setores em 2009.

As temperaturas ao longo do ano passado foram mais altas, e nos primeiros meses do ano, ficaram acima da média histórica. Ao mesmo tempo, o brasileiro passou a consumir mais e comprar aparelhos eletrodomésticos e de refrigeração, elevando substancialmente o consumo de energia.

A expansão do consumo de energia elétrica foi impulsionada pela forte demanda do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, responsável por 60% de consumo da carga que circula pelo SIN (Sistema Interligado Nacional). A carga desse subsistema totalizou 35.008 MW médios, alta de 8,9% frente a 2009.

Nas demais regiões

No Sul, o crescimento foi de 6,5%, com carga total de 9.352 MW médios. Segundo o ONS, houve forte expansão do ritmo da indústria na região, e as temperaturas mais altas também foram sentidas na parte mais fria do país.

No subsistema Norte, a alta foi de 7,1% em 2010, com carga total de 3.891 MW médios. Alguns pontos isolados da região foram interligados ao sistema, deixando de receber energia de termelétricas da região movidas a óleo combustível, que não eram contabilizadas no sistema interligado. A indústria da região, que é fortemente voltada para o mercado externo, também se recuperou do baque da crise, e voltou a consumir energia em níveis próximos ao período pré-crise.
 

 

Redação

com Folha online

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe