Por pbagora.com.br

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, admitiu, durante entrevista na tarde desta quinta-feira (19), a possibilidade de o Governo endurecer as medidas coercitivas para determinar o isolamento social da população, diante da incidência de pessoas em calçadas, praias e praças, como se estivessem de férias.

Segundo ele, parte da população ainda não se conscientizou para a gravidade do problema e insistem em manter a rotina, colocando não apenas a própria vida, mas sobretudo a vida do próximo em risco, por isso o Estado não se furtará de tomar medidas enérgicas que façam cumprir a determinação de isolamento.

“As medidas são necessárias e virão brevemente. Todos receberão informações e essas medidas se tornarão cada vez mais restritivas de contenção social, de isolamento das pessoas”, disse.

Ainda segundo o secretário, no momento oportuno, quem não obedecer às determinações impostas pelas autoridades, sofrerão às sanções da lei.

“A hora é de estimular a cidadania e a conscientização da população no tocante à saúde pública e àquelas pessoas que não querem obedecer a um estado de emergência, terá que obedecer ”, emendou.

Geraldo lembrou que na Itália o índice de mortalidade chega a 400 pessoas por dia e esse cenário pode vir a acontecer no Brasil casos as pessoas não se previnam. “Na Paraíba tomamos medidas precoces, mesmo sem ter casos confirmados, no sentido de se antecipar a tudo isso que a gente já previa”, ressaltou.

A expectativa, conforme o secretário, é que o pico da doença no Estado ocorra durante o mês de junho.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário