William Kalein, Sir Peter Ratcliffe, e Gregg Semenza são os ganhadores do Prêmio Nobel 2019 de Medicina. A pesquisa dos três envolve entender como as células detectam e se adaptam à disponibilidade de oxigênio. Aplicações dessas descobertas já estão sendo feitas em tratamentos contra anemia e algumas formas de câncer.

Segundo o comitê do Nobel, a importância da pesquisa se deve ao fato de que as células precisam ser capazes de perceber a quantidade de oxigênio disponível para adaptar sua atividade metabólica.

A importância disso se deve, por exemplo, a eventos em que as células precisam se adaptar, como quando o corpo humano vai a altas altitudes ou sofre um ferimento – isso faz com que a quantidade de oxigênio disponível diminua, ativando a chamada resposta hipóxica das células.

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Idosa interrompe, antes da alta médica, tratamento para covid-19, em CG

A Secretaria de Saúde de Campina Grande esclareceu que está adotando as medidas sanitárias necessárias a respeito da paciente de 71 anos de idade que interrompeu tratamento que estava recebendo…

Vacina contra quatro tipos de meningite é ofertada na Paraíba

Com a Paraíba ainda enfrentando uma luta para conter o Covid-19, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) disponibilizou doses da vacina ACWY, que protege crianças e adolescentes entre 11…