Por pbagora.com.br

É muito comum, nessa época do ano, quando as temperaturas começam a diminuir e as frentes frias começam a chegar, escutarmos queixas do tipo: “meus joelhos doem quando esfria” ou “esse frio faz mal para minha coluna”. São as dores articulares, popularmente conhecidas como “dor nas juntas”. Estudos comprovam que as variações de temperatura causam variações também na pressão atmosférica. Essas amplitudes térmicas podem ter um papel direto nos sintomas percebidos pelas pessoas que já tem alguma lesão ou sensibilidade articular. Especialmente idosos, por serem mais sensíveis ao frio e apresentarem características típicas do envelhecimento que acometem as articulações, sentem mais as “juntas” com a redução de temperatura. Para falar sobre esse tema, foram ouvido a reumatologista Sandra Rejane e a gerontologia Mariana Rampazo.

A chegada do inverno também traz uma reclamação feita pela maioria dos idosos: as dores nas articulações aumentam e, principalmente, os idosos que sofrem de artrose têm as dores potencializadas coma chegada das baixas temperaturas. Os idosos são mais sensíveis e sofrem mais nessa época do ano. Alguns cuidados ajudam a amenizar o problema.

Segundo médicos, a dor nas articulações se agrava no frio porque as pessoas ficam mais encolhidas, contraindo os músculos constantemente. A constrição das veias também faz com que o fluxo sanguíneo seja diminuído. Além dos fatores, as baixas temperaturas deixam o corpo mais sensível e vulnerável às dores. Para evitar ou amenizar as dores sentidas no inverno, a dica dos especialistas é trabalhar os músculos, fazendo exercícios matinas como caminhadas de 30 minutos regulares, porém, com exercícios de alongamento, para que não se corra o risco de lesões.

A reumatologista Sandra Rejane explica que no inverno, os idosos tendem a sentir mais dores nas articulações devido à diminuição da temperatura, porém isso varia muito da sensibilidade de cada indivíduo. “A maioria dos idosos sente mais frio nesse período, mas isso não é uma regra. Existe um estudo sobre a influência da pressão atmosférica nas dores articulares, mas não há comprovação científica de que o frio aumenta a dor”, disse, destacando ainda que a recomendação é aquecer as articulações no frio com agasalhos, luvas e meias; evitar a frieza e a realização de compressa de água morna em caso de dores intensas.

Ainda segundo Sandra Rejane, nem toda alteração na radiografia significa que o paciente sentirá dor. “Às vezes o paciente tem uma radiografia bem alterada e não sente dor. O que vai fazê-lo sentir dor é justamente os esforços do dia a dia porque a osteoartrose causa alterações mecânicas. Se uma pessoa se esforça e imprime uma postura inadequada, ela sentirá dor, por exemplo”, comentou.

Mariana Rampazo deu alguma dicas que ajudam osidosos a ficarem aquecidos no inverno. “Existem tecidos de sofá que são gelados, então se você forrar com uma manta já ajuda no aquecimento. Se for necessário, também é bom colocar outra manta sobre as pernas. É importante manter as extremidades aquecidas, principalmente os pés.”

Para evitar acidentes, os idosos devem usar meias com sapatos fechados, nunca com chinelos para não escorregar. A Gerontóloga recomendou ainda que os idosos não fiquem parados e procurem se movimentar até mesmo enquanto assistem televisão no sofá. “Pode fazer exercícios com as mãos, abrindo e fechando para melhorar a circulação. Também mexer os pés, fazer exercícios para os tornozelos, e esticar e dobrar o joelho. Melhorando a circulação o corpo aquece.”

Redação

Notícias relacionadas

Brasil registra 928 novas mortes por Covid em 24 horas

O Brasil registrou 928 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta segunda-feira (14) 488.404 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos…

Paraíba vai fazer compra direta de 81 mil doses da Sputnik V

A Paraíba vai fazer compra direta de 81 mil doses da Sputnik V. O anúncio foi feito pelo governador João Azevedo (Cidadania). em sua conta pessoal do Twitter, após o…