Por pbagora.com.br

Após passar duas semanas na faixa azul, a Paraíba voltou para a zona de instabilidade de mortes causadas pela Covid-19 no Brasil, segundo dados do Consórcio de Imprensa divulgado nacionalmente. Ao todo, seis estados estão na zona de instabilidade que não apresentaram queda nem número elevado de óbito: Além da Paraíba, são eles, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Acre, Alagoas, Maranhão e Sergipe.

O volta da Paraíba para a faixa amarela acende o sinal de alerta dos infectologistas e das autoridades autoridades sanitárias e epidemiológicas, que temem que o vírus volte a se espalhar pelo Estado. Desde o mês passado, o Estado autorizou as medidas de flexibilização econômica em alguns setores, mantendo os protocolos oficias de segurança.

O secretário de Saúde Geraldo Medeiros, que é contra o retorno das aulas nesse momento, continua defendido insistentemente, o distanciamento social e o uso de máscara e álcool em gel como medidas eficazes para evitar a contaminação do vírus.

Na dinâmica dos números da Covid, a Paraíba já entrou três vezes na zona de instabilidade e depois migrou para a faixa azul, que dá um “alívio” nos casos de morte causadas pela doença.

A Paraíba tem 126.791 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgadas nesta quarta-feira (14). O número de mortes confirmadas por Covid-19 subiu para 2.958 no estado desde o início da pandemia. Todos os 223 municípios paraibanos registraram casos da doença.

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Paraíba segue na faixa vermelha com índice de 27% de mortes causadas pela Covid-19

Enquanto o Brasil completa uma semana em tendência de queda de óbitos por Covid; com média móvel é de 483 mortos por dia, a ParaÍba segue em alta. Pelo quinto…

Comportamento de risco preocupa Saúde: “Não se proteger não é uma boa decisão”

O secretário executivo de Saúde da Paraíba, Daniel Betrami, endossou, nesta segunda-feira (19), o apelo feito pelo secretário Geraldo Medeiros para a população não relaxar o distanciamento social nem as…