A praticamente três horas do início do julgamento no TSE o clima de ansiedade chega a cortar o oxigênio dos interessados no resultado. Apesar da legião de espectadores, é sobre os ombros de Cássio e Maranhão que recai a maior expectativa. Uma luta psicológica sem precedentes na história política da Paraíba.

O mais torturante é que o TSE tem surpreendido a cada sessão, o que faz de analistas políticos como cegos perdidos em tiroteio. Não há tese que não seja questionável. E não há previsão que não cheire a pitaco. Objetivamente, a confiança do grupo Cunha Lima se pauta nos indicativos de mudança e de confronto com Eros Graus que ficaram claros na última sessão de 2008. Mas o peso do sete a zero não sai da cabeça dos cassistas. É ele que faz o coração de alguns deles quase parar nesta terça.

Nos bastidores, há, no entanto, caros leitores, uma percepção por parte dos cassistas: se Versiani rejeitar pelo pé os embargos acatando todos os argumentos destacados por Eros Grau é muito provável que a Corte dê fim ainda hoje a discussão destes recursos. Por outro lado, se o ministro aparecer com um fato novo nas vistas, levantando um ponto surpreendente e controverso do relatório de Eros é muito provável que a discussão não seja esgotada hoje.

Pelo sim e pelo não, o mais recomendável, para ambos os lados, é silenciar para ouvir cada vírgula do que será dito hoje à noite pelos ministros. Um suspiro pode mudar tudo.

 

Delegado: contra ou a favor de entorpecentes?

Muito grave a conversa entre um diretor de presídio e um informante da PM, divulgada com exclusividade pelo PB Agora, dando conta de que o delegado Walter Brandão cobra propina para liberar traficantes da Grande João Pessoa. Mais do que apuração, a denúncia exige por parte da Secretaria de Segurança Pública do Estado uma resposta imediata à população. Ou pra dizer que já estava apurando indícios de corrupção neste sentido. Ou para afastar qualquer acusação.

Só não dá pra ficar em silêncio. Porque lei do silêncio é privilégio de quem comanda a criminalidade. E não de quem combate.

 

e-mails para coluna no [email protected]

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cientista político paraibano elenca motivos da baixa quantidade de mulheres eleitas na política

As regras da Justiça Eleitoral que buscam resguardar cotas mínimas de candidaturas femininas e de recursos financeiros a elas ainda não são garantia de que mais mulheres serão, efetivamente, eleitas…

Superintendente do Dnit-PB garante retomada das obras de triplicação da BR-230 para 2ª

Os prejuízos com a paralisação das obras de triplicação da BR-230 devem durar até a próxima segunda-feira (21), quando o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes na Paraíba…