Por 294 votos contra e 144 favoráveis, a maioria dos deputados federais optaram para que a sobra do fundo partidário fique com os partidos. Com isso, o NOVO que optou por investir o que sobrou do recurso em áreas da sociedade não poderá repassar a verba. Dos doze deputados federais paraibanos, nove participaram da votação, sete votaram contra a devolução e dois foram favoráveis.

 

Um dos objetivos do partido NOVO é a não utilização de dinheiro público para partidos e campanhas. A emenda ao projeto de reforma da Lei dos Partidos Políticos, aprovada no dia 02/04, incluída pelo líder da bancada do NOVO, deputado Marcel Van Hattem (RS) previa a devolução dos valores do Fundo Partidário para a União, infelizmente foi rejeitada por 294 a 144 votos.

 

A proposta previa a devolução do Fundo Partidário de forma facultativa, ou seja, os partidos devolveriam se quisessem, tampouco não mudaria a estrutura financeira, porém, foi rejeitada pela maioria dos parlamentares presentes na sessão da Câmara.

 

Confira os deputados que votaram CONTRA a devolução:

 

Damião Feliciano             PDT

Aguinaldo Ribeiro            PP

Hugo Motta       PRB

Ruy Carneiro     PSDB

Julian Lemos      PSL

Frei Anastacio Ribeiro    PT

Wilson Santiago               PTB

 

 

Confira os deputados que votaram A FAVOR da devolução:

 

Gervásio Maia   PSB

Pedro Cunha Lima           PSDB

 

 

 

 

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Especialista critica excesso de partidos na Paraíba: “Termina prejudicando”

O cientista político Lúcio Flávio Vasconcelos, doutor em história política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), afirmou, em entrevista a imprensa esta…

Já são três os secretários de Romero que miram disputa pela PMCG

A disputa eleitoral da Prefeitura Municipal de Campina Grande em 2020 deve dividir a base do prefeito Romero Rodrigues (PSD). Pelo menos três secretários de Romero garantem que são pré…