Indicado pelo presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, como o coordenador  no Nordeste  responsável pelas eleições municipais de 2020, o deputado federal paraibano e presidente estadual do PTB Wilson Santiago, comentou sobre as mudanças eleitorais  para o próximo ano que não mais permite coligações proporcionais e os efeitos disso nos municípios que o partido participará.

“Tudo vai depender da situação de cada município. O partido que lidera a situação ou lidera a posição vai conseguir arregimentar candidatos com mais facilidade. Já os partidos menores, terão muita dificuldade, para completar a chapa que é até 150% do número de vagas”, disse Wilson.

Para ele, o fim das coligações para disputa proporcional, a partir das eleições do próximo ano, será uma ‘caixa de surpresa’, porque ninguém sabe qual será o resultado, mas cabe aos partidos se estruturar, pois terão que lançar candidatos que terão que contar co seus próprios votos, tanto na situação, quanto na oposição.

 

Redação

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Podemos diz que Ana Cláudia tem 95% de aceitação das oposições

O presidente estadual do Podemos, o vereador Galego do Leite, afirmou em entrevista à Rádio Campina FM, que o partido irá lançar, oficialmente, a candidatura da secretária de Desenvolvimento e…

Presidente do PCdoB garante que frente de esquerda não está fechada em CG

A presidente do PCdoB campinense, Glauce Jácome, garantiu que o Fórum Pró-Campina, que reúne os partidos de esquerda, ainda não está fechado. Em entrevista concedida à Rádio Caturité FM, Glauce…