A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou hoje (28) recurso da defesa e manter a prisão do ex-deputado Eduardo Cunha, preso na Operação Lava Jato desde outubro do ano passado.

Cunha foi condenado a 15 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, sem direito de recorrer em liberdade, pelo juiz federal Sérgio Moro. Atualmente, ele está preso no Complexo-Médico Penal (CMP), na região metropolitana de Curitiba.

A votação foi realizada com quórum reduzido. Votaram contra a liberdade o relator, Edson Fachin, e o ministro Dias Toffoli, por entenderam que a questão da prisão provisória não pode mais julgada por meio de habeas corpus. Gilmar Mendes foi o único a votar pela concessão da liberdade. Os ministros Ricardo Lewandowski e Celso de Mello não participaram da sessão por motivos de saúde.

Mesmo se a decisão fosse favorável, Cunha continuaria preso em função de mais dois mandados de prisão emitidos pela Justiça do Distrito Federal e outro pela Justiça do Rio Grande do Norte em outras investigações.

 

Agência Brasil

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Afinidades entre RC, João e Rosas são infinitamente maiores que qualquer crise”, diz Hervázio

‘Depois da tempestade vem a calmaria’, esse ditado popular pode ser adotado no mais recente tom conciliador adotado pelo deputado estadual licenciado e atual Secretário de Esportes da Paraíba, Hervázio…

Gervásio revela conversa com RC para ex-governador assumir rédeas do PSB/PB

“Fiz essas ponderações e consegui convencê-lo. Levarei a boa notícia ao presidente Carlos Siqueira, para que ele possa construir a composição com a participação do governador João Azevedo”. A declaração…