Eu, sendo a oposição, não apostaria um vintém furado em que tenha o menor fundo de verdade neste aparente estremecimento de relações políticas do governador João Azevêdo com o seu antecessor Ricardo Coutinho. Tanto um quanto o outro sabem muito bem que podem entregar o ouro ao bandido se partirem para o rompimento.

Ricardo Coutinho e João Azevêdo sabem que hoje são, sem dúvida nenhuma, as duas maiores lideranças políticas da Paraíba. O primeiro, numa condição de emergente e maior autoridade do Estado; o segundo, pelo seu próprio histórico, o portfólio administrativo que construiu; e também pela competência com que jogou a última grande partida do xadrez da política paraibana, em que submeteu as oposições a uma verdadeira humilhação.

Está mais que evidente de que, unidos, João e Ricardo continuarão protagonistas do cenário político da Paraíba, inclusive, com grandes chances de realizar um sonho do PSB (leia-se Ricardo Coutinho) de terem sob seu comando o Governo do Estado, a Prefeitura de João Pessoa e a Prefeitura de Campina Grande.

Este é um projeto que a cada eleição torna-se perfeitamente viável. A menos, é claro, que João Azevêdo e Ricardo Coutinho caiam na besteira de romper, ou a temida Operação Calvário, em suas futuras investidas, chegue ao extremo de promover a prisão das cabeças coroadas do ninho girassol e até a cassação do atual governador. Para muitos, esta é uma possibilidade remotíssima; mas é uma possibilidade e é bom não cutucar o cão com vara curta…

A verdade

É muito provável, sim, que a relação política de João Azevêdo e Ricardo Coutinho esteja em processo de ajuste. João demarcando território e conquistando mais espaços dentro de sua própria gestão, procurando imprimir a sua marca. Mas daí para um rompimento a distância é grande.

Base

Quanto ao G10, grupo de deputados aliados se metendo a independentes, tanto Ricardo quanto João estão certos. Cada um busca o entendimento ao seu estilo. Ricardo, menos tolerante e mais austero, conseguiu manter a bancada forte. João, ao que tudo indica, mais dado ao diálogo.

Faz de conta

E se Ricardo Coutinho e João Azevêdo estiverem fingindo uma briga para enganar as oposições? Esta também é uma possibilidade bastante comentada nos bastidores da política.

 

Wellington Farias

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Tudo vai depender da situação de cada município”, diz Wilson Santiago sobre efeitos das mudanças eleitorais para 2020

Indicado pelo presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, como o coordenador  no Nordeste  responsável pelas eleições municipais de 2020, o deputado federal paraibano e presidente estadual do PTB Wilson Santiago,…

Luciano Cartaxo leva “puxão de orelhas” em público de Damião durante encontro

Um encontro em Brasília entre o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV) e bancada paraibana no Congresso Nacional, na última terça-feira (8),  resultou num puxão de orelha para o…