Os deputados filiados ao PSB que votaram favoráveis à Reforma da Previdência proposta pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), e que foi aprovada na semana passada por 379 votos, agora terão que arcar com as consequências. Em reunião nesta segunda-feira (15), o Conselho de Ética da sigla acatou representação dos seis segmentos sociais organizados do partido e vai acionar os 11 parlamentares  socialista que foram de encontro à orientação da legenda.

Por decisão do Diretório Nacional, o PSB fechou questão contra a reforma e já havia antecipado que as insubordinações teriam consequências.

Os deputados agora serão notificados e terão um prazo de 10 dias para apresentarem suas defesas. Concluídos os processos, o Diretório Nacional será convocado para deliberar sobre a recomendação feita pelo Conselho, com base no Código de Ética do partido. As punições vão desde advertência até expulsão.

“Fizemos uma reunião para avaliar a pertinência da representação. A votação divergente da orientação do partido dá fundamento para recebê-la, instruir o processo e depois repassa-lo ao Diretório Nacional para a decisão final”, afirmou o presidente do Conselho de Ética do PSB, Alexandre Navarro.

Na representação, os segmentos do PSB solicitam “a censura pública, o cancelamento de filiação, a expulsão e o ressarcimento” do investimento feito pelo partido nas campanhas dos deputados em 2018.

O documento foi entregue pelos secretários nacionais de Mulheres, Dora Pires, e de Sindicalismo, Joilson Cardoso, e por Israel Rocha, vice-presidente de Relações Internacionais da Juventude Socialista.

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João Azevêdo diz que movimento de PM’s na PB tem forte conotação política

“Há forte conotação política”. Essa foi a análise do governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), a respeito das manifestações realizadas por representantes das polícias Civil e Militar, assim como, do…

Análise: após o Carnaval, a Paraíba será cenário de guerra política

A conclusão é óbvia. Após o período de Carnaval o clima de certa “afabilidade” entre deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores e o próprio governador João Azevêdo (Cidadania) será modificado drasticamente,…