Por pbagora.com.br

A Executiva Estadual do PPS decidiu na tarde desta quarta-feira (4) proibir a adesão de qualquer membro do partido ao governo José Maranhão III. A decisão foi tomada por seis votos a dois, ante à presença do deputado estadual Nivaldo Manoel. A deputada Socorro Marques não esteve presente, mas encaminhou o filho como representante.

De acordo com o presidente do partido na Paraíba, José Bernadino, atual superintendente da Guarda Municipal em João Pessoa, a decisão se baseia no princípio do respeito ao voto popular. “Ajudamos o projeto de eleição do ex-governador Cássio Cunha Lima, que recebeu mais de um milhão de votos, e o povo disse que nós não deveríamos ficar com o projeto de Maranhão”, declarou Bernadino.

Segundo ele, a decisão de não adesão tem que ser seguida à risca por todos os membros do PPS. “Quem desobedecer terá que ser chamado a se justificar”, declarou. Ele declarou que ninguém tomará decisão isolada dentro do PPS. A legenda é mais uma dentro da base do ex-governador Cássio Cunha Lima que defende a aliança com o prefeito Ricardo Coutinho (PSB).

PB Agora

Notícias relacionadas

Queda de energia em JP obriga Câmara a adiar audiência sobre a LDO 2022

A audiência pública para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2022, que estava agendada para ocorrer nesta terça-feira (15), às 11h, foi adiada para…

Eletricitários farão manifesto hoje em CG contra a privatização da Eletrobras

Os trabalhadores e trabalhadoras da Eletrobras – Chesf em Campina Grande, irão realizar nesta terça-feira (15), ato de protesto contra a privatização da empresa e pelo não cumprimento do ACT.…