Por pbagora.com.br

Para Marcos Nobre, professor de filosofia da Unicamp, o PMDB está na oposição e no governo, qualquer que seja o governo. Nesse sentido, “o PMDB é o partido mais forte do mundo”, afirma ele. O partido não seria apenas o “fiel da balança”, como acontece com outros partidos do mundo, como também expressa a “zona de indistinção” entre PT e PSDB, que polarizam a política brasileira.

Nobre é autor do texto “Indeterminação e estabilidade – Os 20 anos da Constituição Federal e as tarefas da pesquisa em direito”, publicado na edição mais recente da revista Novos Estudos, do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento). O texto defende que o processo constituinte foi marcado por uma intensa e influente participação da sociedade civil e pela ausência de um bloco hegemônico. “Daí o caráter abrangente e detalhista do texto constitucional”, explica. Esse aspecto “contraditório” teria, por ajudado a dar legitimidade e vitalidade à Carta.

Nesta entrevista ao UOL Notícias, da qual também participou o jornalista Flávio Moura, editor da revista Novos Estudos, Marcos Nobre falou sobre a permanência do PMDB depois da democratização, de José Sarney e da Constituição de 1988.

 

Notícias relacionadas

CPP é favorável à isenção em concursos públicos para doadores de sangue ou medula óssea

O Projeto de Lei (PL) que dispõe sobre isenção em concursos públicos para doadores de sangue ou medula óssea recebeu parecer favorável da Comissão de Políticas Públicas (CPP) da Câmara…

Projeto Social apoiado pela prefeitura de Bayeux vira chacota por erro gramatical

Por meio das suas redes sociais, a prefeita da cidade de Bayeux, Luciene Gomes (PDT), divulgou, neste fim de semana, um projeto social apoiado pela sua gestão denominado: Irmã Geni.…