Por Eliabe Castor
 
 

Vou colocar meu cérebro em uma nave interestelar para saber como as coisas funcionam em outros planetas, noutras dimensões; pois aqui na Terra ninguém é normal. Todos nós somos regidos por leis e códigos confusos, cujas famosas “brechas” para escapar das supostas penas legais são rotineiras.

E aqui está minha perplexidade em relação à posse do senhor Fábio Júnior Alves de Andrade (PP), que foi posto no cargo para vereador em uma cerimônia que aconteceu por videoconferência, na última nesta sexta-feira (1º). Ele foi eleito para o Parlamento Mirim do município de Marizópolis, Sertão paraibano.

Nada de estranho em relação à posse via online, caso estivesse ele, por exemplo, doente. Mas não é bem assim que os fatos se deram. Fábio de Nego Chico, como é conhecido, está encarcerado na Colônia Penal do município de Sousa desde o dia 18 de dezembro.

Ele cumpre prisão temporária de 30 dias e é suspeito de participar de um assalto que aconteceu em Sousa, também no Sertão do estado, quando três homens se passaram por policiais e roubaram dinheiro e cheques de um empresário.

E o mais curioso em tudo isso. O Tribunal Regional da Paraíba, seguindo normativas do Tribunal Superior Eleitoral alegou que são as Câmaras Municipais que elaboram seus respectivos regimentos internos e as decisões são de responsabilidade dos parlamentares. E o mais incrível: absurdos como esse acontecem não só na Paraíba, mas em outros estados.

No Paraná há um caso ainda mais grave

O vereador Diogo Michel Canata (PL) foi reeleito em Alvorada do Sul com 251 votos nas eleições municipais. Entretanto, o parlamentar está preso desde julho do ano passado suspeito de tráfico de entorpecente após uma ação realizada pela Divisão Estadual de Narcóticos.

Na operação deflagrada pela Polícia Civil, o irmão de Diogo Michel Canata também foi detido e, na residência dele, foram encontrados 30 quilos de crack, duas armas de fogo, quatro veículos e uma quantia em dinheiro. As investigações apontam que o vereador reeleito era o chefe da organização criminosa e que o grupo vendia e distribuía as drogas em cidades da região.

Conforme a Câmara Municipal de Alvorada do Sul, o parlamentar estava sem receber salário desde sua prisão e sua cadeira permanecia vazia no Legislativo. O seu suplente, Anderson Borges, do PR, assumiu vaga no dia (23) de novembro.

A defesa de Canata irá recorrer da decisão, utilizando o mesmo expediente do seu colega paraibano. Ou seja; buscará a Mesa Diretora da Casa a fim de dar posse ao presidiário por meio de vídeoconferência. Então fica a pergunta eternizada pela voz estridente de Renato Russo: “Que país é esse?”. E outra provocação fica aqui: alguém duvida que Canata pode se dar bem?

Eliabe Castor
PB Agora

 
 

Por Eliabe Castor

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ruy cobra reabertura imediata do Congresso por causa da pandemia

Com o agravamento da pandemia no Brasil e a situação de calamidade em Manaus, o deputado paraibano Ruy Carneiro defendeu a imediata suspensão do recesso parlamentar da Câmara Federal e…

Julian Lemos crítica Bolsonaro: “O homem que está no poder, não é o que elegemos”

O deputado federal Julian Lemos, do PSL, usou seu perfil numa rede social para para fazer um desabafo a respeito do presidente da República, Jair Bolsonaro. Na postagem, Julian critica…