Por pbagora.com.br

De golpe o PT entende. Em 2016 alardeou pelos quatro cantos que a então presidente Dilma foi alvo de tal artifício. Quatro anos depois, agora nas eleições municipais de 2020, o PT Nacional, que era contra o golpe, é acusado de dar um golpe no diretório municipal do partido em João Pessoa decidindo por uma intervenção temporária até o final das eleições para poder beneficiar outro partido – o PSB.

Abertamente o PT Nacional não classifica como golpe a atitude do PT de João Pessoa em se negar a obedecer a orientação. Contudo, como uma retaliação da municipal às determinações da nacional poderia ser classificada?

Afinal, quem golpeou quem?

O PT Nacional golpeou o PT municipal ao desmanchar toda a preparação do partido para as eleições 2020? Ou o PT municipal golpeou a nacional ao agir com insubordinação ao se negar a acatar às orientações da Nacional?

Não é segredo que o PT Nacional, por meio de seu estatuto, já havia batido o martelo de que em cidades com mais de 200 mil habitantes seria a nacional responsável por decidir os destinos do partido. A municipal compreendeu, acatou, articulou e, por mérito próprio, conquistou uma aliança com PCdoB. No entanto, o PSB, que até então estava fora do debate, que ignorou os apelos da esquerda para entrar no debate político, de última hora, resolve se lançar no páreo e exige que PT e PCdoB se curvem à agremiação. As siglas se negaram. Deram andamento a homologação do registro de candidatura à PMJP e colocaram o bloco na rua.

Peitaram não só Ricardo Coutinho, mas também o PT Nacional. O desgaste é inevitável. A Nacional do PT, que não vive a realidade da Capital, prefere depositar suas expectativas na candidatura de outra legenda e cultivar um mal estar com os seus filiados e futuros cabos eleitorais de 2022. Enquanto isso Ricardo, não faz o mínimo esforço para apaziguar o dilema.

No meio de tudo isso há um eleitorado com o discernimento golpeado. Se nem mesmo a esquerda consegue se definir, como se definir por alguma opção da esquerda? Nesse cenário o centro e a direita é que vibram e caminham para cavar sua vaga no segundo turno do pleito.

 

Márcia Dias
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vídeo: major Sidney desafia a Justiça em Sapé e promove carreata

Candidato à prefeitura de Sapé, pelo Podemos, major Sindney mais uma vez desafiou às determinações da justiça e, dessa vez, além de promover carreata pela cidade, prática que está proibida…

No guia eleitoral, Ruy destaca propostas para saúde, assistência social e esportes

O guia eleitoral do candidato a prefeito Ruy Carneiro continua repercutindo sua atuação na saúde, esportes e assistência social. Neste sábado (24), foram exibidos depoimentos de pessoas que foram beneficiadas…