Por Eliabe Castor

Os astecas foram um povo mesoamericano que se estabeleceu na região do Vale do México e formou uma das maiores civilizações pré-colombianas. O crescimento da Civilização Asteca ocorreu a partir de conquistas territoriais sobre os povos vizinhos, os quais foram obrigados a pagar impostos para os astecas. A decadência desse povo teve início com a chegada dos espanhóis à região no século XVI.

E esse declínio aconteceu com todas as grandes civilizações. Cito aqui os romanos e egípcios. É sabido que uma “ala” buscava a hegemonia de outros segmentos, seja na religião, etnia, valores morais, sociais e por aí em diante. Mas havia algo que eles (os antigos) citando também os gregos, não conseguiram evitar, culminando nas suas respectivas derrocadas: o embate entre os pensamentos diferentes de um só povo.

E o Partido dos Trabalhadores (PT), que já foi a maior força política do Brasil, perdeu seu curso ao longo da história. Hoje partidos do chamado “Centrão” ganharam força exponencial enquanto a agremiação petista pedia e perde terreno no que diz respeito à formação de um bom corpo de base com vistas às eleições de 2022.

Anísio Maia e a Santa Inquisição

O deputado estadual Anísio Maia, integrante histórico do PT na Paraíba, está prestes a ir à “Fogueira Santa” do poder inquisitório da leva que conduz a sigla em trajetória nacional. Em resumo: os mandatários legítimos do Partido dos Trabalhadores.

Veja o quadro delicado de Anísio Maia

A secretária Nacional de Organização do PT, Sônia Braga, encaminhou representação à Comissão Executiva Nacional em que pede a expulsão do deputado estadual Anísio Maia e que seja aplicada a pena de cancelamento de registro de candidatura na Justiça Eleitoral. A informação é do blog da jornalista Sony Lacerda.

Anísio Maia teve o nome para prefeito da Capital nas Eleições 2020 aprovado em convenção do Diretório do PT de João Pessoa. Porém, a instância nacional quer o partido marchando junto com o ex-governador Ricardo Coutinho, que concorre à prefeitura pelo PSB.

Por sinal, na Paraíba o PT apenas figura a qualidade de coadjuvante do partido socialista, o que pode ser entendido pela excelente relação do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) e o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o homem de honra do Partido dos Trabalhadores em todo o país.

PT pode ficar sem deputado estadual e federal na Paraíba

Quando o Partido os Trabalhadores buscou, até o último minuto a postulação de Lula para presidente da República, em 2018, estando ele preso, o erro foi fatal, e o presidente eleito Jair Bolsonaro (sem partido) e toda sua estrutura aproveitou de tal fato utilizando métodos lícitos e ilícitos para vencer o páreo. E venceu! E não a dúvidas: o PT na Paraíba pode perder espaço na Assembleia Legislativa e Congresso.

Hoje o PT junta seus cacos e pode perder um deputado estadual e outro federal pela vaidade de alguns

Pois é: hoje o PT junta seus cacos, mas as alas conservadoras e progressistas da agremiação em todas as esferas, estando, claro, a municipal, estadual e nacional estão em completa desarmonia em um ano vital para a sigla, pois caso não venha obter bons quadros, será em médio prazo um partido nanico e com pouca expressão eleitoral.

E aqui vamos nessa jornada. O PT busca expulsar o seu único deputado estadual, Anísio Maia. Mas o parlamentar não está só nessa trincheira. Ele tem aliados de peso. Um deles atende pelo nome de Frei Anastácio, deputado federal do partido da estrela branca.

Disse Anastácio em nota ditada e divulgada no mês passado: “Com essa intervenção, a direção nacional tenta destruir a candidatura do companheiro Anísio Maia. Uma posição autoritária, antidemocrática, desrespeitosa, desleal com único interesse de atender aos caprichos de um cidadão que tenta impor a força de coronel da política paraibana”, diz um trecho da nota que ataca frontalmente as ações perpetradas pelos mandatários da sigla na esfera nacional e o próprio Ricardo Coutinho.

E nessa maré incerta, o PT comete, novamente, antigos erros que o colocaram em desfavor da opinião pública, embora estivesse ao longo dos 14 anos no Palácio do Planalto executando boas políticas públicas.

Grandes ações foram realizadas, como também grandes escândalos que todos já sabem e não merecem ser repetidas. O mesmo caminho segue Bolsonaro, Centrão e seus generais. Nenhum império é para sempre. A própria história já nos conte tal fato. E o povo sofre. O que fazer? “Cloroquina” ou “Companheiro”?

 

Eliabe Castor
PB Agora

Por Eliabe Castor

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vereadora eleita revela que oposição está unida pela presidência na CMCG

Eleita para o primeiro mandato na Câmara Municipal de Campina Grande, a líder comunitária Maria de Fátima Melo Silva, ou simplesmente “Dona Fátima”, defendeu em entrevista as rádios Correio FM…

Em rede social, José Maranhão diz que “Nilvan representa o novo e o povo”

José Maranhão, presidente do MDB na Paraíba, partido que disputa o 2º turno em João Pessoa com o candidato Nilvan Ferreira, usou seu perfil numa rede social para para expressar…