A Paraíba o tempo todo  |

MP arquiva denúncia de pedofilia contra prefeito

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

EXCLUSIVO – Depois de quase dois meses, o Ministério Público da Paraíba dá por encerrada a investigação sobre denúncia de suposto caso de pedofilia envolvendo o prefeito de São Bento, Galego de Sousa, e uma menina de onze anos de idade. Num parecer extenso, a assessoria técnica da Procuradoria-Geral de Justiça do Estado determina o arquivamento da denúncia por absoluta falta de provas.

De acordo com o parecer da assessoria técnica, feito em cima de relatório elaborado pela promotora Geovana Patrícia Queiroz do Rego  , que cuidou do caso em São Bento, não há elementos que possam comprovar nenhum ilícito praticado pelo acusado. O parecer chega a classificar de “insinuações precárias” as denúncias que pesaram contra o prefeito de São Bento e que mexeram com a cidade.

O prefeito alegou que estava sendo vítima de uma trama armada por adversários políticos.

A denúncia foi publicada com exclusividade no PB Agora no dia 30 de janeiro deste ano. Ela foi feita por um morador anônimo de São Bento que procurou, em João Pessoa, a Promotoria da Infância e do Adolescente. Segundo ele, o prefeito de São Bento estaria se relacionando com uma menina de onze anos.

O conteúdo da denúncia foi protocolado ao Disque Denúncia Nacional depois de uma passagem na Curadoria da Infância na cidade de João Pessoa no ultimo dia 22 de janeiro. Ela dava conta de que a menor S. C. F. de 11 anos estaria sendo sexualmente abusada pelo prefeito. Os pais da menor, Francisco da Costa Fernandes e Ângela Maria da Costa, teriam encontrado envelopes de anticoncepcional dentro da mochila escolar da menor, que estuda na Escola Estadual Fausto Meira.

Assustada e pressionada, contou a testetmunha, a menor teria relatado aos pais que fora seduzida e estava mantendo relações sexuais com uma autoridade da cidade. Segunda o relato, S. F. C sofreu por várias vezes abuso sexual por parte do prefeito da cidade São Bento, Jaci Severino de Souza, mais conhecido em toda região como “Galego de Souza”.

No mesmo dia em que a denúncia foi ao ar, a procuradora-geral de Justiça da Paraíba determinou que o Ministério Público em São Bento apurasse o caso. A promotora Geovana Patrícia Queiroz do Rego  ouviu os pais da menor, a suposta vítima, o prefeito da cidade e ainda diversas outras testemunhas. Ela ainda fez exames médicos e psicológicas da menor. E concluiu a investigação no dia 11 de março, enviando o relatório para parecer da Procuradora-Geral Janete Ismael.


PB Agora

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe