O ministro Celso de Melo, do Supremo Tribunal Federal, acaba de negar seguimento à reclamação impetrada pela Assembléia Legislativa da Paraíba pedindo novas eleições indiretas na Paraíba, após cassação do governador Cássio Cunha Lima (PSDB).

Numa decisão de 16 páginas, o ministro determinou o arquivamento da reclamação 7759 impetrada no dia 18 de fevereiro, horas antes de José Maranhão assumir o governo do Estado por decisao do Tribunal Superior Eleitoral, que cassaou o mandato do governador Cássio Cunha Lima (PSDB) sob acusação de abuso do poder político e econômico nas eleições de 2006. 

O presidente da Assembléia, deputado Arthur Cunha Lima (PSDB), reivindica a aplicação, por simetria, do artigo 81 da Constituição Federal, pelo qual o Congresso Nacional deve realizar eleições indiretas em caso de vacância do presidente e do vice-presidente no segundo biênio do mandato.

O ministro Celso de Melo declarou que o recurso foi prejudicado porque, no caso específico, não caberia uma reclamação. Ele disse que as reclamações só servem para que o STF possa avaliar o descumprimento de súmulas aprovadas pelo próprio Supremo e eventualmente desrespeitadas. Mas para Celso de Melo o caso citado pela Assembléia e julgado pelo Supremo que se aplicaria na reclamação é diferente do caso de cassação de Cássio Cunha Lima.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Daniella Bandeira acredita que Cartaxo convencerá Manoel Jr a desistir da pré-candidatura à PMJP

A secretária de Planejamento na Prefeitura de João Pessoa, Daniella Bandeira, que se filiou recentemente ao Partido Verde, encabeçado na Paraíba pelo prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo, em contato…

Vené desatrela política do lado pessoal em candidatura de Ana Cláudia à PMCG

O senador Veneziano Vital do Rêgo destacou a história da sua esposa, Ana Cláudia na gestão pública como atributo fundamental para a sua pré-candidatura e desatrelou qualquer questão pessoal pelo…