O governador José Maranhão (PMDB) começa a encontrar dificuldades para aprovar ou rejeitar as matérias do seu interesse diante da postura adotada pela bancada oposicionista na Assembleia Legislativa. Desde o segundo mandato do ex-governador Tarcísio Burity no final da década de 80, quando teve que governar com minoria e uma oposição ferrenha comandada pelo seu antecessor Wilson Braga, um chefe do Executivo estadual não administrava a Paraíba com minoria na Casa Epitácio Pessoa.

Nas primeiras semanas de seu governo José Maranhão já recebeu um sinal claro dos embates que terá pela frente quando a bancada de oposição aprovou com folga a convocação dos secretários de Saúde, Educação e Infra-Estrutura para prestarem esclarecimento da demissão de prestadores de serviços e cargos comissionados em uma audiência na Assembleia Legislativa.

Na última terça-feira, dia 10, a bancada governista sofreu mais uma derrota com a aprovação de sete matérias encaminhadas ainda pelo ex-go-vernador Cássio Cunha Lima (PSDB) antes da cassação do seu mandato pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Entre as matérias estão a que dispensa ou reduz juros, multas e demais acréscimos, mediante parcelamento de débitos fiscais relacionados com o IPVA e outra referente ao piso nacional dos professores do Magistério, que ficou em R$ 950,00.

A matemática é simples. Enquanto o ex-governador Cássio, mesmo com o mandato cassado possui uma base com 20 parlamentares, o atual governador conta com uma bancada de apenas 16 deputados. A expectativa de que José Maranhão obteria a maioria na Casa ainda não se confirmou e ele está tendo que atender as inúmeras solicitações e pleitos de parlamentares que estariam insatisfeitos. Na última quinta-feira, dia 12, o governador reuniu 14 parlamentares da sua base, com exceção de Carlos Batinga (PSB) e Jeová Campos (PT), que estavam viajando.

união – O saldo da reunião foi positivo, segundo o líder do governo, deputado Gervásio Filho (PMDB), que garantiu que a bancada dos 16 parlamentares está unida no propósito de neste período de 1 ano e 10 meses de mandato reconstruir a Paraíba.

O governador José Maranhão minimizou o fato de ter minoria na Assembleia Legislativa por acreditar que tanto os deputados da base governista quanto de oposição pautem a sua atuação pelos princípios do interesse público. Ele acrescentou que os parlamentares vão aprovar os projetos que sejam úteis a sociedade.

José Maranhão disse desconhecer a existência de um bloco parlamentar de aliados insatisfeitos com a formação da equipe de governo “Quem são os insatisfeitos? Não tenho privilegiado nenhum deputado e na formação do governo procuramos atuar de forma igualitária e no sentido de contemplar todos os parlamentares dentro da visão do interesse público”, afirmou.

Ele também classificou como “mesquinho” o gesto dos deputados da bancada de oposição que convocaram os secretários estaduais para explicar as demissões de prestadores de serviços e pró-tempores pela administração estadual. “Os secretários vão dizer o que, quando todos nossos atos são públicos e transparentes? Esses deputados vão se arrepender porque os secretários vão comparecer à Assembleia e vão dar um show de competência”.
 

O Norte

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Deputado do PSD explica motivos para manter candidatura mesmo após Kassab ‘incendiar’ a base governista em CG

O deputado e vice-presidente estadual do PSD, Manoel Ludgério, reafirmou em entrevista a TV Itararé que mantem a sua candidatura a Prefeitura de Campina Grande, mesmo após as declarações do…

Ruy pondera sobre vice: “No momento certo vamos ter novidades”

Com pré-candidatura à prefeitura de João Pessoa consolidada e programa de governo concluído, o deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) agora articula com suas bases a escolha do nome que irá…