O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (6), em entrevista em Vitória, que, no ano que vem, lançará um novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para mais quatro anos.

“O PAC não termina no meu governo. O PAC é um processo. No ano que vem, vamos apresentar o PAC para mais quatro anos. Para que, quem quer que seja que venha para a Presidência, tenha uma prateleira de projetos feitos por prefeitos, governadores, para que a gente comece a trabalhar rapidamente”, disse.

Ele disse também que irá criar uma comissão em seu gabinete para analisar o transporte coletivo nas grandes cidades. Lula criticou a qualidade do serviço oferecido e o preço cobrado. O presidente respondeu às perguntas dos repórteres após participar da cerimônia de lançamento do programa Território de Paz.

Questionado se a eleição do senador Fernando Collor (PTB-AL) para o comando da Comissão de Infra-estrutura do Senado poderia ameaçar o PAC, o presidente respondeu que “ninguém ameaça o PAC”.

“Eu acho que o Collor, como senador, tem o direito de disputar comissões, de participar como todos os outros senadores. Eu não acho que haverá nenhum problema na comissão”, disse. Collor derrotou a petista Ideli Salvatti (SC) na eleição para a presidência da comissão.

Lula também falou sobre o plano habitacional que o governo apresentará nos próximos dias para a construção de 1 milhão de casas até 2010 para a população de baixa renda. Segundo ele, as casas serão destinadas à população na faixa de renda de até dez salários mínimos.

“Quem ganha menos terá mais subsídio, a prestação será menor. A pessoa terá 36 anos de mobilidade, ou seja, se ficar desempregada um ano, aqueles doze meses vão para o final da prestação”, disse.

O presidente falou sobre o encontro que terá com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no próximo dia 14, e disse esperar que os Estados Unidos tenham um “olhar produtivo” sobre a América do Sul. “Nós queremos que os Estados Unidos sejam parceiros para ajudar a construir uma América latina mais forte”, disse.

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veneziano repudia atitude de Bolsonaro convocando para ato contra o Congresso

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) repudiou nesta quarta-feira (26) a atitude do presidente da República, Jair Bolsonaro, de convocar a população para um ato contra o Congresso Nacional…

Pós-folia os pré-candidatos paraibanos devem focar nos prazos eleitorais e convenções

Como se diz “Tudo no Brasil, começa após o carnaval”, essa máxima também é levada a política, onde os pré-candidatos nas eleições devem dar o start oficial as suas pretensões…