Pré candidato a prefeito de Campina Grande em 2020, o deputado estadual Manoel Ludgério (PSD) defendeu publicamente a filiação do prefeito Romero Rodrigues (PSDB) ao PSD. Em entrevista a Rádio Caturité FM, Ludgério destacou que a legenda não pode perder a oportunidade de ter um nome como o de Romero compondo e presidindo o partido em âmbito estadual. Informações nos bastidores dão conta que Romero está prestes a desembarcar no PSD, e ainda levar cinco vereadores de deu sua base.

Ludgério que é esposa da presidente da Câmara Municipal, a vereadora Ivonete Ludgério, destacou que não existe qualquer problema dentro do partido em aceitar Romero como presidente estadual da legenda, mencionando que a atual presidente, Eva Gouveia, assumiu o comando após o falecimento do deputado federal Rômulo Gouveia.

Manoel comentou ainda que Romero, ao presidir o PSD, estará avançando na política estadual e fortalecendo a legenda.

– Um partido que pretende crescer na Paraíba não pode abrir mão da filiação de um Romero Rodrigues. Romero já era para ter a sua independência política à frente de uma legenda e este é o grande momento para que ele possa se firmar na política estadual – disse.

Pré-candidatura – Como ex vereador de Campina Grande, Ludgério confirmou que a intenção de se candidatar a prefeito da cidade s eleições de 2020. Ele disse que coloca o nome à disposição sem imposição.

Manoel destacou que o nome dele está posto dentro de um “requisito de lealdade”, mas não como “instrumento de desavença” dentro do grupo político ao qual pertence.

– Eu tirei um título de eleitor, lá em 1986, para votar em Cássio, deputado constituinte. A partir daí, eu nunca deixei de seguir o meu agrupamento político em Campina Grande. Participei de momentos difíceis. Perdemos uma eleição em 2004 e passamos oito anos na oposição. Em um período desses oito anos éramos oposição no Estado, porque o governador era José Maranhão, e aqui em Campina. Fui com Cássio no momento mais difícil da sai vida pública, que foi o seu segundo mandato de governo, onde eu era o líder do governo, e fui o último a sair com ele no Palácio da Redenção com ele [Cássio], quando Zé Maranhão tomou posse. Na mesma noite tornei-me líder da oposição quando ninguém queria liderar – pontuou.

Manoel também destacou que em 2012 abriu mão de lançar a esposa, vereadora Ivonete Ludgério (PSD), para ser candidata a vice-prefeita de Campina ao lado de Romero Rodrigues (PSDB), que veio a concorrer a prefeito naquele ano e ganhou a eleição.

 

Severino Lopes

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Galdino faz apelo ao MP por mais tempo para gestores extinguir lixões

Em recente entrevista à imprensa o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) deputado Adriano Galdino (PSB), assumiu o apelo dos prefeitos do Litoral Norte do Estado, que alegando falta…

2020: deputado aliado de João defende a unificação da oposição em CG

Pré candidato a prefeito de Campina Grande, o deputado estadual Inácio Falcão (PCdoB), defendeu, nesse fim de semana, a unificação da oposição para enfrentar o candidato a ser apresentado pelo…