Por Wellington Farias
Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil

A história é implacável contra a mentira. Mais cedo, ou mais tarde, a verdade sempre virá à tona. Mesmo que seja a conta-gotas.

O golpe parlamentar perpetrado contra a ex-presidente Dilma, por exemplo, já começa a ser desnudado aos poucos, seja através de livros, depoimentos e entrevistas.

Poucos duvidam de que houve uma trama urdida contra a ex-presidente brasileira.

A gota mais ácida sobre a mentira por trás do golpe virá na forma de um livro prestes a ser lançado, que é nitroglicerina pura e, segundo dizem, traz a participação de figuras importantes da Paraíba: “Tchau Querida, o Diário do Impeachment”, de autoria do ex-deputado Eduardo Cunha, que foi o todo-poderoso presidente da Câmara Federal à época do impeachment.

Tchau Querida… é um calhamaço de 740 páginas, que está no prelo com promessa de chegar às livrarias brasileiras em abril. Condenado a 14 anos e meio de prisão, Eduardo Cunha detalha como tudo aconteceu, a partir de uma trama que, segundo ele, teria sido tramada no apartamento do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, com o apoio do PSDB.

Detalhe: o primeiro pedido de impeachment partiu do ilustre desconhecido de então, o deputado do baixo clero e hoje presidente da República, Jair Bolsonaro.

Conversando com uma pessoa de muito trânsito na política de Brasília, o colunista indagou se havia participação de paraibanos na trama. “Vários, alguns de forma vergonhosa”, respondeu o interlocutor com base no que circula nos bastidores do Congresso.

Desvio de vacina

Tá rolando desvio de doses de vacinas para beneficiar privilegiados, em alguns municípios paraibanos. Mas há canais de denúncia ao Ministério Público.

Para denunciar ao Ministério Público Federal: no celular, é só baixar o aplicativo MPF Serviços e enviar as informações e provas disponíveis. Mas, é importante reunir o máximo de informações – data em que ocorreu o desvio, local, nomes de possíveis envolvidos e provas da prática como fotos, vídeos e mensagens que auxiliem na investigação.

Esse material pode ser enviado diretamente pelo MPF Serviços, que aceita o envio de vídeos, fotos e documentos. O Ministério Público irá atuar para que os responsáveis por eventuais desvios sejam punidos.

Justiça

Com 820.610 processos encerrados em 2019 e 2020, a Justiça da Paraíba superou em 170.910 (26,30%) o número de feitos novos que ingressaram para serem julgados, que foi de 649.700 no período.

Um dos principais motivos que permitiram este e outros resultados positivos do Poder Judiciário paraibano nos últimos dois anos foi a intensificação do investimento em tecnologia.

Sobre o fato, comentou o presidente do TJ paraibano, desembargador Marcio Murilo: “Foi um grande passo que pode nos levar em poucos anos a sermos um TJ de excelência. Podemos avançar muito ainda nos próximos anos com o destravamento dos processos fazendários, uso de automação e IA nos cartórios e gabinetes possibilitada com o PJE 2.1, mais cartórios unificados, mais assessores de 1º Grau e aprimoramento e ampliação do prêmio de produtividade.”

Por Wellington Farias

Notícias relacionadas

Após protesto de músicos, PMJP reafirma importância do cumprimento do decreto

Após protesto realizado por músicos na frente do Centro Administrativo Municipal de João Pessoa, ontem (25), contra os novos decretos estabelecidos pela Prefeitura da Capital e Governo do Estado, a…

Ex-gestor tem contas reprovadas e terá de devolver R$ 1,5 milhão a Pedras de Fogo

As contas das Prefeituras de Pedras de Fogo, exercício de 2018, na gestão do ex-prefeito Dedé Romão, foram reprovadas, à unanimidade, pelo Tribunal de Contas do Estado, em sessão ordinária,…