Milhares de servidores estaduais do quadro efetivo se deram conta de uma realidade que foi determinada, pelo governador José Maranhão (PMDB), no início de sua gestão, em 18 de fevereiro último. Todas as gratificações foram cortadas e o teto máximo, salvo em alguns casos de incorporações aos vencimentos, ficou estabelecido em R$ 500,00.

A surpresa e estupefação de muitos servidores já podem ser registradas nas filas de bancos, caixas eletrônicos e na própria consulta nas contas correntes, através da Internet. Segundo o deputado Romero Rodrigues (PSDB), a iniciativa do Governo Maranhão III foi “cruel e impactante” para a maior parte dos servidores, que se programam financeiramente com base em sua realidade salarial.

Já com presença assegurada em sessão especial na tarde desta terça-feira na Assembléia Legislativa, o secretário Antonio Fernandes, da Administração, terá de explicar com detalhes aos deputados os procedimentos adotados para o corte geral de gratificações dos servidores estaduais.

Os secretários Sales Gaudêncio (Educação) e José Maria de França (Saúde) também participarão da sessão especial desta terça-feira (31). Eles vão prestar esclarecimentos sobre a situação dos prestadores de serviço do Estado.

Entidades representativas dos servidores estaduais já preparam mobilizações e protestos pela medida administrativa.

PB Agora
 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Presidente do Podemos assume liderança da bancada de oposição na CMCG

A bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande tem um novo líder. O presidente do Podemos, vereador Galego do Leite que volta a comandar a bancada oposicionista na…