O governo federal entregou nesta quinta-feira ao Arquivo Público Nacional nove livros com atas de reuniões do extinto Conselho de Segurança Nacional (CSN). Os documentos, que abrangem um período de mais de 50 anos, inclusive durante a ditadura militar, estará acessível ao público nas sedes do Rio de Janeiro e de Brasília do arquivo em duas semanas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O conselho, criado em 1937, ganhou poder durante a ditadura militar. Dos documentos entregues ao Arquivo Nacional, são 3 mil páginas que vão de novembro de 1934 a meados de 1988, entre elas as atas das reuniões que decidiram sobre a participação do País na Segunda Guerra, as relações com a Argentina de Perón e durante o regime militar.

Ainda de acordo com o jornal, 416 linhas dos documentos terão tarjas pretas. Segundo afirmou a folha, a explicação do general Jorge Armando Félix, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, a censura ocorrerá apenas com expressões ofensivas e jocosas contra instituições, países e pessoas que poderiam criar atritos com outros países.
 

 

terra

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veneziano repudia atitude de Bolsonaro convocando para ato contra o Congresso

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) repudiou nesta quarta-feira (26) a atitude do presidente da República, Jair Bolsonaro, de convocar a população para um ato contra o Congresso Nacional…

Mesmo após fim de pensão, ex-governadores da PB continuam a receber

Em 2018, o Supremo Tribunal Federal (STF) decretou, em julgamento ocorrido, o fim do pagamento de pensões a ex-governadores e viúvas de ex-governadores da Paraíba. O benefício havia sido aprovado…