Por pbagora.com.br

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, defendeu a aquisição das vacinas que primeiro forem disponibilizadas, independentemente da origem de fabricação. A declaração ocorre na mesma semana que o Governo Bolsonaro decidiu voltar atrás da assinatura de um protocolo para adquirir lotes de vacinas de origem chinesa.

“O ministério da Saúde assinou um protocolo para que fosse realizada a aquisição dessas vacinas, mas infelizmente o presidente se manifestou desautorizando, e nós esperamos que independentemente da origem da vacina, os brasileiros possam receber a que estiver primeiro disponível”, destacou.

Já sobre a obrigatoriedade da vacinação, o secretário acredita que não será necessária diante do grau de conscientização da população em torno do coronavírus e de suas consequências não apenas na saúde, mas no dia a dia da população.

“Quando a vacina for aprovada não há obrigação para ser obrigatória, mas a conscientização da população fará com que a meta seja alcançada. A população está tão conscientizada da importância da vacinação contra o novo coronavírus, que não haverá a necessidade de obrigatoriedade da vacina. Como nós temos uma ideia aproximada que a imunidade de rebanho ocorre quando 70% da população está imune, com certeza essa vacina atingirá mais de 90% de imunização ao longo de 2021 e consequentemente teremos adesão da população que não exigirá obrigatoriedade”, emendou.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Gestão de João Azevêdo tem 47% de aprovação em JP; Bolsonaro tem 42%

Em pesquisa do RedeMais/Instituto Opinião em João Pessoa, o governador da Paraíba, João Azevêdo, tem a gestão aprovada por 47,4% dos pessoenses. Já a aprovação do presidente da República, Jair…

OUÇA – Cícero acusa Nilvan de falsear verdade em imbróglio envolvendo Cássio

Em entrevista ao programa Arapuan Verdade, na tarde desta segunda-feira (23), o ex-senador Cícero Lucena (PP), que é um dos candidatos à prefeitura de João Pessoa neste segundo turno do…