Simpática e sempre afável, a desembargadora Fátima Bezerra chegou muito perto de assumir, nesta sexta, um cargo de direção no governo Maranhão III. Esbarrou na proibição legal. O que em nada alterou seu papel dentro da nova administração. Sem chefiar, oficialmente, direção alguma, Fátima Bezerra manda mais do que três secretários de Estado juntos e, ninguém pode negar, desempenha um papel de autoridade inquestionável ante Maranhão III.

Requisito, certamente, obtido com o aval do próprio governador. E conquistado pelo fato de ter sido figura importantíssima antes, durante e depois do processo de cassação do ex-governador Cássio Cunha Lima. Fátima Bezerra, pelo cargo que ocupa, como não poderia deixar de ser, articulou bem junto ao TRE e ao TSE em Brasília, além de ter sido companheira inseparável nas noites de decisões malogradas. Usou a boa influência que possui em favor, claro, do marido.
Agiu bem no Judiciário. E agora age melhor ainda no Executivo.

É pra ela onde se recorre quando se quer ter certeza de uma nomeação dentro do novo governo. Com jeito, e autoridade serena, Fátima consegue tudo que lhe pedem. De nomeações a posturas.

Tem influência em boa parte das indicações do novo secretariado e, dizem, age até nas questões sobre decisões políticas. Não bastasse a irmão no CENDAC, para onde ela mesma iria, a defesa da posse de Nadja Palitot, e ainda as confirmações de Lena Guimarães na Secom, Sales Gaudêncio na Educação, Coronel Uchoa no Detran, Edísio Souto na Cagepa, entre outros, que tinham o aval da desembargadora. Sabe-se, inclusive, que Fátima Bezerra está fazendo intervenções junto a pessoas ligadas a ela que estão na equipe do prefeito Ricardo Coutinho, a exemplo do vereador Edmilson Soares, atual secretário de Desenvolvimento Humano da prefeitura.

A influência da desembargadora dentro do governo Maranhão III é tanta que há quem tenha lembrado, com leve alteração, da frase bíblica: ninguém vai ao homem senão pela esposa. É representando uma figura de proa que a desembargadora Fátima Bezerra circula na atual administração. E, pelo balanço do mar, é provável que aumente ainda mais a abrangência de sua influência. Dando ao governo Maranhão um toque ainda mais feminino.
 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Rosas tem maioria, mas não vai recorrer de intervenção: “Fiquem com o PSB”

O presidente do PSB na Paraíba, Edvaldo Rosas, disse que embora tenha apoio da maioria dos diretorianos, além de deputados, prefeitos e vereadores para continuar na presidência, não vai recorrer…

IMPASSE: Cida Ramos vê futrica em tese de rompimento no PSB

A tese de rompimento entre o governador João Azevêdo (PSB) e o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) por conta do impasse envolvendo o PSB paraibano foi eliminada pela deputada estadual Cida…