O vereador Bruno Farias (Cidadania) rebateu as declarações do prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PV) que alegou que os 27 parlamentares estariam agindo na calada da noite para aprovar mudanças na Lei Orgânica e no Regimento Interno, para pressionar sua gestão a cumprir as emendas impositivas. Bruno disse que o prefeito deve desculpa aos 27 vereadores. “Quem age na calada da noite são bandidos, não são homens de bens”, disse.

O prefeito tinha dito: “Esse processo se deu de maneira equivocada. A prefeitura não foi chamada sequer para saber o percentual [das emendas]. Aprovaram na calada da noite, no apagar das luzes”, comentou Luciano Cartaxo, em resposta o vereador oposicionista destacou que as mudanças nas as emendas individuais impositivas cumpriram todos os ritos e foram discutidas em cinco sessões pelo Legislativo Municipal.

“Quem disse cuida, disso usa. A Câmara cumpriu todos os ritos, em cinco sessões diferentes e, por maioria, aprovou (mudanças na Lei Orgânica e no Regimento Interno). O prefeito fez uma acusação muito séria contra os 27 vereadores. Quem age na calada da noite são bandidos, não são homens de bens. O prefeito precisa pedir desculpas públicas ao Poder Legislativo”, indagou Bruno Farias.

“As emendas impositivas foram uma conquista da cidadania, a possibilidade de participação direta da população de João Pessoa na execução do orçamento, afinal de contas os vereadores são representantes diretos do povo e cada um de nós tem a possibilidade de, ouvindo as demandas dos bairros e cidadãos de modo geral, apresentarmos emendas para que elas possam ser executadas. Infelizmente o prefeito tem sido negligente, omisso e tem ignorado a reivindicação do povo através das emendas cidadãs. Já estamos encaminhando para o final de sua gestão e até agora Luciano Cartaxo fez ouvido de mercador. Respeitar o Legislativo não é vir à CMJP na reabertura dos trabalhos para fazer um discurso longo e sem qualquer tipo de criatividade administrativa, respeitar a Câmara Municipal é fazer com que a Lei Orgânica do Município, que prevê as emendas impositivas, seja respeitada, porque o não cumprimento dessas emendas significa crime de responsabilidade”, finalizou Bruno.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Lupi: em caso de tratativa para filiação de Azevêdo, diálogo deverá ser feito por Lígia

Durante entrevista a uma emissora de rádio paraibana na tarde desta segunda-feira (20), o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi negou convite para o governador da Paraíba, João Azevêdo (sem…

Veneziano defende concurso público para a previdência

Ao analisar a recente decisão do presidente Jair Bolsonaro de contratar militares da reserva para tentar diminuir o ‘apagão’ nos serviços do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Brasil,…