A Paraíba o tempo todo  |

Desrespeito à faixa de pedestre causa reclamações e acidentes

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Pedestres reclamam que o tempo de travessia em alguns semáforos da cidade são curtos e que existe uma precipitação dos motoristas que não esperam concluir o percurso. Por outro lado, os pedestres além de atravessar fora da faixa ou com sinal aberto, não sinalizam para os condutores antes de realizar o deslocamento. O Detran-PB informa que até o primeiro semestre deste ano foram registrados 518 atropelamentos, sendo as maiores vítimas idosos e crianças.

Tanto o Detran-PB quanto a Semob-JP têm realizado ações integradas na faixa de pedestre em pontos estratégicos da cidade para orienta como fazer uma travessia com segurança e ao condutor que deve parar o veículo antes da faixa de retenção e esperar o pedestre fazer a travessia.

O diretor de Operações da Semob-JP, Cristiano Nóbrega, relata que existem falhas de ambos os lados e ressalta a importância da colaboração para que os riscos de acidentes diminuam. “O pedestre deve ter cautela e fazer a travessia com segurança, já que muitas vezes atravessam em cruzamentos. Devem acenar para os condutores para dar tempo de o motorista reduzir o excesso de velocidade, pois nem sempre estão atentos. Já os motociclistas são mais propícios em provocar acidentes dessa natureza por imprudência. Às vezes procuram brechas, para cortar caminho invadem a calçada, considerada multa gravíssima. Pelo Código de Trânsito, no momento que o pedestre está atravessando a faixa, o condutor tem obrigação de esperar, tanto é que existe uma infração pra isso”, explicou.

A chefe da Divisão de Educação de Trânsito (DET) do Detran-PB, Abimadabe Vieira, informa que o uso do celular no trânsito aumentou em mais de 400% o risco de acidentes “A pessoa que anda conectada, tanto um pedestre quanto um condutor, seja por mensagem ou em uma ligação, não tem condição de reagir porque está distraído demais para aplicar a direção defensiva, podendo provocar um acidente ou atropelar um pedestre”, enfatizou.

Existem pontos da cidade que o tempo para o deslocamento é mais curto, como a faixa de pedestre da entrada do Centro de Tecnologia da UFPB e o semáforo do Manaíra Shopping. Muitas vezes, o pedestre espera no canteiro central para concluir a travessia.

A reportagem do jornal A União observou o semáforo da Rua Desembargador Souto Maior, próximo à Lagoa, e contabilizou que o semáforo fica 21 segundos aberto para o deslocamento dos pedestres e 42 segundos para os veículos. O diretor de Operações Cristiano Nóbrega explicou que existe um estudo de fluxo, cada cruzamento tem uma característica específica “Fazemos um estudo tanto de pedestre quanto de veículos, horários de pique, demanda. Caso o pedestre se sinta prejudicado, ele pode solicitar à Semob-JP que faça uma nova avaliação de fluxo, mas cada faixa de pedestre tem suas especificidades”.

 

Redação com Jornal A União

Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe