Por pbagora.com.br

O deputado estadual Carlos Batinga (PSC) afirmou, na manhã desta terça-feira (29), que abomina a prática dos “currais e cabrestos eleitorais” e é totalmente contra as negociatas, que alguns agentes públicos realizam usando lideranças e eleitores em busca de dividendos políticos nas eleições estaduais e municipais.

Batinga ressaltou que uma demonstração clara de que repudia estas práticas é que não interfere na escolha do posicionamento de seus aliados e correligionários que são livres para escolherem seus outros candidatos a deputado federal, senador, governador e presidente, dentro de suas convicções. Ele atribui a este seu comportamento respeitoso e democrático para com as pessoas, o fato de ser votado em municípios por lideranças que acompanham diversos deputados federais, tanto da bancada de oposição, quanto da situação, que livremente fazem suas escolhas.

O deputado citou o caso de algumas cidades da região do Cariri, a exemplo de Parari, onde seus aliados escolheram livremente votar no deputado federal Wellington Roberto (PR); Coxixola e Congo, onde deverão votar em Evaldo Costa (PSB); Serra Branca, município no qual seus correligionários visando um pacto local conversam com o deputado federal Luis Couto (PT), e na Prata votam em Leonardo Gadelha.

“Sou totalmente contra os currais eleitorais, pois entendo que num regime democrático as pessoas, eleitores tem que ter liberdade e autonomia para fazerem suas escolhas. Votarem de acordo com as suas convicções e não por imposição de candidato A ou B. Faço política desta forma, com diálogo, democracia, ouvindo e respeitando o contraditório, discutindo propostas e formulando projetos de desenvolvimento sustentável, pois entendo que assim esta pratica nefasta do cabresto e curral eleitoral chegará ao fim”, afirmou Batinga.



Redação com Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise – Cícero e a corrupção: este é um terreno minado em que a gestão não pode vacilar

Um dos maiores desafios que o prefeito eleito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), terá ao longo dos seus primeiros quatro anos de gestão será precaver-se contra a corrupção. Primeiro…

Volta às aulas: Adufpb critica MEC e cobra testagem e segurança sanitária

A portaria do MEC, determinando o retorno das aulas presenciais nas entidades de ensino superior, gerou reação na comunidade acadêmica.  O presidente do Sindicato dos Professores da UFPB (Adufpb), Fernando…