Por pbagora.com.br

 A defesa do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares pediu nessa quinta-feira (28) à Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal autorização para que ele possa deixar a prisão durante o dia a fim de trabalhar na CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Delúbio pretende atuar no atendimento aos sindicalizados e deve ganhar entre R$ 4 mil e R$ 5 mil.

O ex-tesoureiro foi condenado a seis anos e oito meses de prisão em regime semiaberto na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Ele está preso na Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal. Por ter sido condenado a cumprir pena abaixo de oito anos, Delúbio tem direito a trabalhar.

De acordo com a Lei de Execução Penal, condenados em regime semiaberto podem trabalhar dentro do presídio, em oficinas de marcenaria e serigrafia, por exemplo, ou externamente, em uma empresa que contrate detentos.

O juiz da VEP Mario José de Assis Pegado determinou que a Seção Psicossocial avalie a proposta de trabalho e elabore um relatório sobre a idoneidade do pedido.

“Encaminhem-se os autos à Seção Psicossocial da VEP, para a elaboração de relatório acerca da idoneidade da proposta de emprego apresentada, observada a ordem cronológica de remessa de feitos para análise daquela seção especializada”, determinou o magistrado.

Fonte: Agência Brasil
 

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Oposicionista analisa novas adesões à base de João na ALPB: “Perda muito grande”

‘Um baque’, essa pode ser a definição mais adequada as recentes adesões dos deputados estaduais Raniery Paulino (MDB) e Eduardo Carneiro (PRTB) a base de sustentação do governador João Azevêdo…

Assessor do deputado Cb Gilberto, Cb Rui é preso suspeito de agredir mulher, diz site

Cabo Rui, que atua como assessor do deputado estadual Cabo Gilberto, teria sido preso na madrugada deste sábado (1º), após ser autuado na Lei Maria da Penha. A informação foi…