A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, participou na noite de ontem, como convidada especial, de missa celebrada pelo padre Marcelo Rossi, no Santuário do Terço Bizantino, em São Paulo. O local, na zona sul paulista, concentra milhares de pessoas durante os encontros religiosos e é conhecido como ponto obrigatório de políticos em campanha eleitoral.

Para uma plateia de cerca de 15 mil pessoas, segundo os organizadores da missa, e em cima de um palco onde estava o padre Marcelo, a ministra cantou, bateu palmas, foi molhada no rosto e no cabelo por água benta e chegou a demonstrar certo enfado depois de quase duas horas de missa. Batizada e educada na religião católica, como costuma dizer, Dilma rezou, mas preferiu não comungar.

Usando novamente óculos, a ministra não despertou a curiosidade dos fiéis, basicamente mulheres, que estavam mais empenhadas em cantar e rezar. Ela foi apresentada pelo bispo de Santo Amaro, dom Fernando Figueiredo, como “alguém muito importante”, mas recebeu apenas aplausos protocolares. Logo depois Dilma foi ao púlpito e leu um trecho da Bíblia, o Livro de Ester.

“Põe em meus lábios um discurso atraente quando eu estiver diante do leão e muda o seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça com todos os seus cúmplices, e livra-nos da mão dos nossos inimigos”, leu Dilma, que recebeu terços da mãe de padre Marcelo para levar a Brasília.

A pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que aposta em Dilma para sucedê-lo, a ministra tem procurado viajar mais e participar de eventos populares. No evento de ontem, das dez pessoas com as quais o Estado conversou, nove desconheciam a ministra Dilma.

“Não é o Ronaldinho que vem aí?”, perguntou a doméstica Neuza da Silva, 42. Informada de que se tratava de uma ministra de Lula, ela completou: “Política? Estou fora.” Voluntárias que trabalham no santuário também não sabiam quem era a ministra. “Dilma? Quem é?”, perguntou a aposentada Guiomar Siqueira, 71. “Ah, agora que você falou acho que sei quem é. Ela apareceu na televisão”, completou a manicure Maria Conceição, 49.

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Bolinha tenta trazer para sua pré-candidatura em CG o apoio do DEM

Pré-candidato a prefeito de Campina Grande, pelo partido do deputado federal Julian Lemos (PSL-PB), o empresário campinense Artur Bolinha, ofereceu ao DEM comandado no Estado pelo deputado federal Efraim Filho…

Mesmo com foco na disputa pela PMCG, Ana Cláudia pode ir para Câmara Federal

Com foco na disputa pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, a secretária de Estado Ana Cláudia, pode vir a conquistar uma vaga na Câmara Federal, compondo o conjunto de parlamentares…