A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, participou na noite de ontem, como convidada especial, de missa celebrada pelo padre Marcelo Rossi, no Santuário do Terço Bizantino, em São Paulo. O local, na zona sul paulista, concentra milhares de pessoas durante os encontros religiosos e é conhecido como ponto obrigatório de políticos em campanha eleitoral.

Para uma plateia de cerca de 15 mil pessoas, segundo os organizadores da missa, e em cima de um palco onde estava o padre Marcelo, a ministra cantou, bateu palmas, foi molhada no rosto e no cabelo por água benta e chegou a demonstrar certo enfado depois de quase duas horas de missa. Batizada e educada na religião católica, como costuma dizer, Dilma rezou, mas preferiu não comungar.

Usando novamente óculos, a ministra não despertou a curiosidade dos fiéis, basicamente mulheres, que estavam mais empenhadas em cantar e rezar. Ela foi apresentada pelo bispo de Santo Amaro, dom Fernando Figueiredo, como “alguém muito importante”, mas recebeu apenas aplausos protocolares. Logo depois Dilma foi ao púlpito e leu um trecho da Bíblia, o Livro de Ester.

“Põe em meus lábios um discurso atraente quando eu estiver diante do leão e muda o seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça com todos os seus cúmplices, e livra-nos da mão dos nossos inimigos”, leu Dilma, que recebeu terços da mãe de padre Marcelo para levar a Brasília.

A pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que aposta em Dilma para sucedê-lo, a ministra tem procurado viajar mais e participar de eventos populares. No evento de ontem, das dez pessoas com as quais o Estado conversou, nove desconheciam a ministra Dilma.

“Não é o Ronaldinho que vem aí?”, perguntou a doméstica Neuza da Silva, 42. Informada de que se tratava de uma ministra de Lula, ela completou: “Política? Estou fora.” Voluntárias que trabalham no santuário também não sabiam quem era a ministra. “Dilma? Quem é?”, perguntou a aposentada Guiomar Siqueira, 71. “Ah, agora que você falou acho que sei quem é. Ela apareceu na televisão”, completou a manicure Maria Conceição, 49.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Rompimento entre João Azevêdo e Ricardo Coutinho é página virada, garante parlamentar do PSB

“Página virada”. É assim que o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB) analisa o rompimento entre o governador João Azevêdo (sem partido) e o ex-governador Ricardo Coutinho, do PSB. Para…

Aliados para 2020, PTB e Podemos devem disputar internamente filiação de João

Apesar de aliados para o pleito de 2020, PTB e Podemos ainda devem travar uma disputa nos bastidores que é a batalha para convencer o governador João Azevêdo (sem partido)…