O ex-governador Cássio Cunha Lima poderá disputar o governo do Estado nas eleições de 2010. Segundo informações repassadas pela assessoria de Cássio, que teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na última terça-feira (17), em conversas e reunião ontem com aliados e correligionários o ex-governador não descartou a possibilidade de disputar a sucessão estadual em 2010. A assessoria acrescentou que Cássio já seria, naturalmente, o pré-candidato do PSDB a sucessão estadual, contando com o apoio inclusive da Cúpula nacional tucana e do eventual pré-candidato a Presidência da República, José Serra.

Cássio Cunha Lima , em silêncio desde a decisão do TSE, admitiu que poderá conceder entrevista coletiva logo após o feriado de Carnaval. A entrevista estaria pré-agendada para a próxima sexta-feira, dia 27. Ele viajou com a família para descansar e fugir do assédio de jornalistas locais e que atuam em veículos de comunicação do país. A sua assessoria não informou para onde o tucano tinha viajado.

SAIBA MAIS
Cássio deixou claro que estava sereno e tranqüilo com a situação. Ele reafirmou apenas que foi injustiçado e não cometeu, absolutamente, nenhum crime eleitoral, como foi dito pelo TSE, para ter seu mandato de governador tirado. Um mandato que, segundo ele, foi concedido por mais de um milhão de pessoas na Paraíba nas últimas eleições de 2010.

Na última terça-feira, os ministros do TSE rejeitaram os embargos declaratórios impetrados pelos advogados de Cássio para tentar reverter decisão tomada no último dia 17 de dezembro que cassou o mandato do tucano. Os ministros também rejeitaram o pedido da defesa que queria eleição indireta no Estado para a escolha de um novo governador.

O Norte

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

CPI do Feminicídio vai convocar secretários de João para debater os casos na Paraíba

Em entrevista à imprensa paraibana, a deputada estadual Cida Ramos (PSB), que recentemente teve seu nome envolvida na crise interna do seu partido, como sendo uma das responsáveis pela desunião…

Agora ficou claro: nunca houve oposição a governo nenhum. A oposição era mesmo ao estilo de Ricardo governar…

Neste cenário que se esboça com o iminente rompimento entre João Azevedo e Ricardo Coutinho, ficou mais que claro: não havia oposição a governo coisíssima nenhuma. Havia – e continua…