A Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) protocolou um ofício com um novo pedido de licença, agora de 30 dias, ao vereador Renan Maracajá (PSDC), preso durante a segunda fase na Operação Famintos, que investiga desvio de verbas de merenda escolar na cidade.

O vereador continua detido em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela 4ª Vara da Justiça Federal da Paraíba.

Como as duas solicitações de licença não são para um período de mais de 121 dias, a presidente da Câmara Municipal, Ivonete Ludgério, explicou que não será necessário convocar um suplente para substituir Renan Maracajá. Se fosse o caso, o suplente imediato seria Gildo Silveira.

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Só entro para ser o presidente”, diz Galdino sobre possibilidade de ingresso noutra sigla

Em entrevista a imprensa nesta semana o que o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba deputado estadual Adriano Galdino (PSB), voltou a comentar a possibilidade de sair dos quadros do…

Para debater a PB, rixa entre adéptos de Lula e Bolsonaro deve ficar de lado, diz Efraim

O deputado federal Efraim Filho (Democratas) declarou que espera que no Brasil, nem tampouco na Paraíba, volte o tempo em que a bandeira política definia se um estado ou município…