A Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) protocolou um ofício com um novo pedido de licença, agora de 30 dias, ao vereador Renan Maracajá (PSDC), preso durante a segunda fase na Operação Famintos, que investiga desvio de verbas de merenda escolar na cidade.

O vereador continua detido em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela 4ª Vara da Justiça Federal da Paraíba.

Como as duas solicitações de licença não são para um período de mais de 121 dias, a presidente da Câmara Municipal, Ivonete Ludgério, explicou que não será necessário convocar um suplente para substituir Renan Maracajá. Se fosse o caso, o suplente imediato seria Gildo Silveira.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vené desatrela política do lado pessoal em candidatura de Ana Cláudia à PMCG

O senador Veneziano Vital do Rêgo destacou a história da sua esposa, Ana Cláudia na gestão pública como atributo fundamental para a sua pré-candidatura e desatrelou qualquer questão pessoal pelo…

Análise – Os foguetões sobraram para o São João: por quatro votos a um, STJ mantém RC em liberdade

Se porventura o ministro Sérgio Moro, da Justiça, veio à Paraíba pensando em (também) causar influência sobre o julgamento do habeas corpus da PGR contra o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB),…