A Paraíba o tempo todo  |

Calvário: Ministro não vê ‘constrangimento ilegal’ e mantém irmão de RC preso

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho, vai continuar preso por ter descumprido as medidas cautelares propostas pela justiça no âmbito da Operação Calvário. A decisão é do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, que na última sexta-feira (20), rejeitou mais um habeas corpus impetrado pela sua defesa.

De acordo com o pedido da defesa, o objetivo era que o magistrado determinasse que a ministra Laurita Vaz, relatora da Calvário no Superior Tribunal de Justiça (STJ), analisasse um pedido de liberdade impetrado ainda no ano passado na Corte, ou concedesse a “ordem de ofício para revogar a prisão preventiva, aplicar medida cautelar diversa da prisão ou substituí-la por domiciliar”, apontando que dos 16 réus investigados na mesma ação, Coriolano seria o único a ainda estar preso.

Porém, de acordo com o entendimento de Gilmar Mendes, ele não vislumbra “a ocorrência de constrangimento ilegal” na tese de que houve abuso no decreto da prisão.

Mesmo negando o habeas corpus, Mendes recomendou que o “STJ imprima celeridade ao julgamento” do recurso.

Coriolano está preso desde dezembro passado no âmbito da Operação Calvário e não tem perspectiva de deixar a cadeia.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe