Por pbagora.com.br

Durante mais de duas horas, na tarde desta terça-feira, 9, o prefeito Bruno Cunha Lima manteve reunião, por videoconferência, com representantes do Ministério Público Estadual, Federal e do Trabalho. Na ocasião, o grupo formado por uma promotora e procuradores apresentou recomendação para que o Município adote medidas mais restritivas no combate à Covid-19. Bruno se comprometeu em avaliar o documento com a equipe, mas adiantou que um novo decreto municipal já está sendo confeccionado, argumentando que não abrirá mão da gestão da crise sanitária local, que há mais de 12 meses vem sendo administrada com eficiência, pela Prefeitura, não será transferida para o Governo do Estado.

“É a cidade que tem a melhor situação epidemiológica do Estado. Estamos de portas abertas para pacientes da Paraíba e de outros Estados. Em um ano, adotamos uma estratégia de planejamento mais eficaz e com mais resultados que a própria Secretaria Estadual de Saúde. Temos feito a nossa parte e, portanto, vamos manter a nossa estratégia”, garantiu.

O prefeito de Campina Grande, que esteve acompanhado do vice-prefeito, Lucas Ribeiro, lembrou que a taxa de letalidade no Município é a menor do Estado; o índice de transmissibilidade, segundo os dados da Secretaria de Saúde, se mantém em 0,9% e ressaltou: a cidade nunca sofreu com a falta de leitos, como também está recebendo novos equipamentos, vem ampliando a fiscalização dos estabelecimentos comerciais e está integrada ao consórcio nacional para compra de vacinas. “E tudo isto é feito com o pleno diálogo, com todos os segmentos da sociedade”, celebrou.

Regulação e transporte público

Com os membros das várias esferas do MP, Bruno também tratou das questões ligadas à regulação específica de Campina Grande para a Covid-19, uma ação que funciona 24 horas por dia, com equipes de plantão, além da manutenção de email e de telefone para contato com hospitais das outras macrorregiões, que precisam transferir pacientes para o Município, sendo isto feito com tempo extremamente hábil em termos de resposta.

Ainda foi tratada a questão do transporte público em Campina Grande, tema que também foi, durante esta terça-feira, alvo de uma reunião entre o prefeito e os empresários do setor, ficando certo o aumento no quantitativo de ônibus que devem circular na cidade, como igualmente muitas outras medidas, com reflexos na proteção à saúde dos usuários.

Foi abordada naturalmente, durante a reunião virtual, a polêmica possibilidade de mudança de bandeira, pois o Governo do Estado quer rebaixar Campina Grande de Amarelo para Laranja. Por isso, o prefeito apresentou uma série de dados questionando tal medida, demonstrando que Campina tem competência técnica para gerir a atual crise, apresentando sempre os melhores resultados em nível estadual.

Participaram da reunião os procuradores Marcela Asfora, Raulino Maracajá, Marcos Antônio e Andressa Alves Coutinho (Ministério Público do Trabalho); Bruno Barros e Renan Félix (Federal) e a promotora Adriana Amorim (Saúde), do Ministério Público Estadual.

Pelo Município, participaram, os secretários Filipe Reul e o adjunto, Gilney Porto (Saúde); e Rosália Lucas (Desenvolvimento Econômico); assim como o procurador geral do Município, Aécio Melo. O médico Tito Lívio, diretor do Complexo Municipal Hospitalar Pedro I, também integrou a equipe que acompanhou a videoconferência.

Veja mais:

MPs cobram de Bruno Cunha Lima cumprimento dos decretos do Governo do Estado
Redação

Notícias relacionadas

Mesmo sob novo comando, CMCG é criticada por ‘dormir nas suas atribuições’

A mudança de comando na presidência da Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) em nada alterou o andamento do trabalho legislativo. Pelo menos é essa a percepção do vereador Olímpio Oliveira…

Estados liderados por bolsonaristas encabeçam mortes por covid-19; veja posição da Paraíba

Um estudo feito pela unidade de inteligência do portal Congresso em Foco mostra que os estados que mais votaram em Jair Bolsonaro no primeiro turno das eleições presidenciais de 2018…