A Câmara Municipal de Santa Rita abriga segredos escusos. Ou pelo menos abrigava, até o PB Agora ter acesso a informações confidenciais, estando contidas as tais em vídeos e áudios, que apontam uma possível “junção” ilícita entre o prefeito daquele município, Emerson Panta (PSDB), e seu livre acesso à Casa legislativa para aprovar matérias do seu interesse.

Pelas engrenagens do processo, aqui não discutindo o mérito judicial, provocado pelo Parlamento, há algo de estranho no ar. Quando falo “estranho”, dou vazão a possíveis benesses em favor dos vereadores que se contrapuseram ao então presidente da Casa, Gustavo Santos.

Alegando pretextos normativos, Gustavo Santos foi afastado da Mesa Diretora, assumindo a presidência o vereador Anésio Miranda. Os fatos poderiam ficar no mundo dos embates políticos e da não concordância de opiniões ideológicas, e nessas “faíscas” do ter e haver provocaria modificações na Casa.

O caso é complexo, com inúmeras nuances jurídicas, mas é fato inconteste que, como iniciei o artigo, segredos escusos, até então não revelados, vieram à tona. Com exclusividade o PB Agora publicou farto material apontando irregularidades praticadas na Câmara Municipal de Santa Rita. E o que é pior: por supostas ilicitudes praticadas por vereadores santarritenses, havendo ciência do prefeito Emerson Panta.

Na última quarta-feira (11), o PB Agora publicou matéria apontado que o vereador Brunno de Cicinha teria invadido o prédio onde fica localizado o Arquivo da Câmara Municipal da cidade para colocar entre os documentos existentes no local, papéis que não fazem parte dos documentos oficiais da Casa.

Brunno ainda estaria coagindo servidores a assinarem documentos atestando que os papéis levados por ele já estavam no Arquivo. Outros parlamentares estariam participando do ilícito. Outro agravante: foi visto em filmagem, também publicada pelo PB Agora, que atas da Câmara foram furtadas. As mesmas foram escondidas numa floricultura próxima à Câmara.

E como se não bastassem todos os indícios de práticas criminosas, quatro áudios mostram Brunno de Cicinha revelando uma negociata entre a base governista na Câmara e a gestão municipal para a aprovação de matérias e projetos de interesse do Poder Executivo.

Na conversa, Brunno explica como divide os valores recebidos por pessoas indicadas por ele na folha de pagamento da Prefeitura Municipal, através das quais faria o famoso “racha” dos salários. Prática bem “popular” entre aqueles que querem usurpar os cofres da coisa pública.

Em resumo, ao que tudo indica, um forte esquema de práticas ilícitas “patrocinadas” pelo Executivo e Legislativo está ocorrendo, estando como vítima o aprazível município de Santa Rita.

E seguindo a prática do bom jornalismo, pautado na ética, o PB Agora enviou e-mail datado do dia 8 de julho endereçado ao prefeito Emerson Panta, para eventual esclarecimento.

O objetivo era buscar informações sobre todo o imbróglio. Apesar da solicitação, houve, e há, um silêncio sepulcral do gestor de Santa Rita. Ele não respondeu ao e-mail. Agora a pergunta é a seguinte: o que está havendo na terra dos canaviais?

 

PB Agora
Eliabe Castor

Total
10
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Grupo é detido suspeito de tentar arremessar drogas para o Serrotão

Quatro pessoas foram capturadas suspeitas de tentarem arremessar drogas para dentro da Penitenciária Raymundo Asfora, o Serrotão, em Campina Grande. O bando foi flagrado tentando arremessar um pacote com cocaína,…

Bosco Carneiro confirma rompimento com Governo João Azevêdo

Após entregar cargos no Governo do Estado e deixar a base governista na Assembleia, o deputado Bosco Carneiro oficializou, nesta terça-feira (12) sua ida para o bloco de oposição na…