A secretária de Educação de Campina Grande, que foi afastada do cargo por decisão judicial, Iolanda Barbosa, teve a prisão temporária revertida em prisão domiciliar e já está em casa desde esse sábado (27). A ex-gestora havia sido levada para o presídio feminino, em Campina Grande. Lá, como não havia cela especial disponível, Iolanda teve que ficar em uma cela comum, apesar de ter ensino superior.

O juiz federal Rogério Abreu, que está substituindo o desembargador Rogério Fialho, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife, foi quem entendeu que a manutenção da prisão de Iolanda em cela comum não era cabível. A decisão que beneficiou a ex-secretária é semelhante a que mandou para prisão domiciliar a pregoeira da prefeitura, Gabriela Pontes.

A ex-auxiliar da gestão Romero é suspeita de participação em um suposto esquema de desvio de recursos federais destinado à compra da merenda escolar, na cidade, que veio à tona com a eclosão da Operação Famintos, desencadeada pela Polícia Federal.

Segundo a investigação, desde 2013 ocorreram contratos sucessivos, que atingiram um montante pago de R$ 25 milhões.

 

Redação

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Homem é preso no Sertão ao usar residência para a venda de drogas

Um homem acusado de tráfico de drogas foi preso nessa sexta-feira (18) pela Polícia Civil. O preso, mais conhecido como “Preá”, foi localizado por equipes da Delegacia Seccional de Itaporanga.…

Polícia prende suspeita de integrar quadrilha que atuava no tráfico de drogas

A Polícia Militar prendeu, na madrugada deste sábado (19), a terceira integrante da quadrilha que atuava em um esquema do tráfico que abastecia pontos de venda de drogas na Paraíba…