Por pbagora.com.br
Foto: PMPB / Divulgação

A Polícia Militar prendeu, na manhã desta quarta-feira (3), os dois suspeitos de tentar matar a tiros um comerciante de 29 anos, na noite dessa terça-feira (2), no bairro do Alto do Mateus, em João Pessoa. Com a dupla, os policiais apreenderam um rifle, maconha, balança de precisão e mais de 50 munições de três calibres diferentes. Os acusados, de 30 e 20 anos, já têm passagens pela polícia por tráfico de drogas e um deles ainda estava cumprindo pena alternativa.

Conforme informações do comandante do 1º Batalhão, tenente-coronel Lucas, os suspeitos teriam pedido um lanche por telefone no estabelecimento da vítima, que foi fazer pessoalmente a entrega. “Quando o comerciante chegou na moto para fazer a entrega, eles teriam tentado assaltar a vítima, que possivelmente tentou fugir e foi alvo dos tiros”, contou.

Ainda segundo o oficial, a resposta ao crime foi dada através de informações recebidas pelos policiais que atuam no policiamento do bairro. “Na manhã de hoje, na continuidade das diligências para prender os autores do crime, o cabo Weldson recebeu informações sobre a localização dos suspeitos, fez buscas e deu resposta ao crime com a prisão dos acusados”, disse.

Os dois foram presos em casas de familiares, em duas comunidades que ficam no Alto do Mateus. Eles já foram reconhecidos pela vítima. O caso foi levado para a Delegacia de Crimes Contra Pessoa, na Central de Polícia, no Geisel.

 

Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias relacionadas

Trio que planejava assaltar ônibus na Capital é detido com espingarda e facas

A Polícia Militar interceptou um trio que planejava assaltar ônibus, na noite dessa sexta-feira (22), na rua das Trincheiras, no Centro de João Pessoa. Os suspeitos, de 19, 17 e…

Polícia localiza casa usada pelo tráfico para esconder arma e drogas na Capital

A Polícia Militar desativou uma base do tráfico de drogas que ficava instalada em uma casa, nessa sexta-feira (22), no Distrito Mecânico de João Pessoa. Na residência, os policiais da…